quarta-feira, 6 de abril de 2016

Resenhando: ''Beije Minha Bunda, Perfil de um Assassino'', Clayton De La Vie

Fala galera, tudo bem? Venho compartilhar com vocês a avaliação de ''Beije Minha Bunda, Perfil de um Assassino'' do autor Clayton De La Vie, livro publicado pela Editora Percurso e que me deixou boquiaberto. Como na última postagem, farei uma breve apresentação do autor e logo na sequência darei início a análise do livro. O arquivo que li foi digital mas não se preocupem, isso não altera o teor surpreendente que encontrei na obra. Vocês vão entender já, já...


Título: Beije Minha Bunda, Perfil de um Assassino
Autor: Clayton De La Vie
Publicação: 2015
Editora: Percurso
Gênero: Policial, terror
Páginas: 126


Sinopse: Nossas palavras, nossas ações e nosso modo de agir podem influenciar muito mais do que imaginamos. Crescendo em meio a brigas e humilhações provocadas por seu pai alcoólatra, Pietro tornou-se um adulto complexado, um assassino sádico que acredita fazer um bem enorme à humanidade ao subjugar vidas. O homem não poupa esforços em suas torturas e, praticamente compulsivo de sodomia, aproveita cada oportunidade para abusar sexualmente das vítimas. Na década de setenta, quando a polícia não possuía tantos recursos, até que ponto uma matança desmedida podia se estender?

Nascido em agosto de 1994, em Franco da Rocha, São Paulo, começou a escrever muito cedo. Atualmente, com vinte e um anos, tem onze obras publicadas. Dentre elas, destaca-se "A Mordida do Vampiro", que assina com o pseudônimo de Laerte Verrier. Não é casado, não tem filhos, mas nutre um namoro há alguns meses. Amante da boa música, delicia-se ao som do bom e velho Rock'N'Roll.

Para aqueles que tiverem interesse no livro, basta acessar a página de compra no site da EDITORA PERCURSO

Agora que já conhecemos o Clayton, que tal irmos para a resenha? Acontecimentos sombrios nos aguardam...



''Galera, eu pensei em um jeito para começar esta avaliação do livro ''Beije Minha Bunda, Perfil de um Assassino'' do querido autor Clayton De La Vie mas não encontrei elogios corretos para definir o que senti quando comecei a lê-lo. Sendo assim, digo da maneira mais simples possível que o livro é excelente & o autor é incrível. Clayton começa sua trama de maneira alucinante. Nos apresenta personagens marcantes que carregam graves problemas psicológicos. Logo nas primeiras páginas, a narrativa mostra abusos sexuais, físicos e psíquicos subjugadores. O leitor se sente no universo doentio, preconceituoso, psicopata e imoderado que os personagens vivem. Se o ditado popular diz que ''as primeiras impressões são as que ficam'', então, ''Beije Minha Bunda'' ficará para mim como uma obra-prima do cenário brasileiro — embora a história não tenha ocorrência em solo brasileiro — com a capacidade de representar conteúdo social, humano, comportamental, psicológico e extranatural. As melhores e piores sensações são experimentadas pelo leitor: assimilação, tensão, desejo, ódio e uma pitada considerável de curiosidade pelo novo e diferente. ''
''Pouco antes de dormir, Pietro observava os outros funcionários embalsamarem os corpos. Aproveitando que estava sozinho em uma noite, subiu no caixão de um adolescente falecido, o abraçou e o acariciou. O emprego ali foi mantido por apenas oito meses, e Pietro regressou para casa.''

A escrita de Clayton é magnífica. O cara é talentoso e tem capacidade de ''colocar no bolso'' muitos que se acham grandes coisas mas que vivem apenas por causa das publicidades. É bom saber que temos em nosso território um escritor tão incrível assim. Não gosto e nem vou fazer comparações mas, para aqueles que engrandecem o cenário estrangeiro e colocam no ''trono dos inigualáveis'' autores renomados, tenho a dizer que Clayton De La Vie escreve tão bem quanto ou até melhor do que alguns e não deixa nada a desejar. Além do talento, Clayton mostra uma técnica magistral no processo de escrita e desenvolvimento. Ele soube ser um pouquinho de cada coisa nos momentos mais oportunos: detalhista e objetivo, agressivo e sensível e até mesmo sujo e informal quando necessário. O titulo de seu livro é um bom diferencial também, fugindo da mesmice que costuma-se ver.

A diagramação é um luxo. Perfeita!

Já li outros livros do autor e já sabia de sua capacidade mas confesso que ''Beije Minha Bunda'' superou as minhas expectativas que já eram enormes. A leitura é fluente e mesmo lendo o livro em formato digital, terminei em pouquíssimas horas. Ah, e vale ressaltar que mesmo que tivesse mil páginas seria possível lê-lo tranquilamente. A vontade é mesmo de devorá-lo. Em nenhum momento da história ela se fez cansativa.

''Pietro Stanley crescia assim: em meio a xingamentos e surras. Não compreendia muita coisa, levava a sério as palavras da mãe e jamais revidaria os golpes, jamais se oporia à agressão constante.''

Outro ponto muito positivo são os diálogos, que expressam — talvez pela ocorrência do livro ser baseado em fatos reais — genuinidade.

Quanto a trama, a sua cronologia retrata o perfil de um assassino — como o título já deixa claro. É exibido um acervo de homicídios praticados por Pietro — o protagonista — que sofre de vários problemas psicológicos, entre eles sodomia e distúrbio de personalidade. A cada assassinato, uma sensação diferente e melhor. As outras personalidades surgem com mais frequência. Um novo ''eu'' interior se liberta e passa a ser o responsável pelos atos sádicos e desequilibrados, que chegam ao entendimento do leitor como as consequências dos maus tratos sofridos pelo menino na infância. Será? Afinal, quem é o culpado nessa trama toda? Rupert ou Rufus, o palhaço? Pietro Bartzen ou Pietro Bartzen Jr.? Pai ou filho? As personalidades ou as entidades malignas? O passado monstruoso ou o presente prazeroso? Nesse ponto a obra passa um alto teor reflexivo e medonho e revela muitas surpresas.

''Nos instantes seguintes, que pareceram se prolongar por anos, os olhos do menino reviraram; se ele pudesse ordenar as palavras que se misturavam em sua mente, certamente pediria socorro, suplicaria para que o homem parasse ou até mesmo diria que deixaria de ameaçá-lo. Vagarosamente, perdeu a consciência. Ainda pôde sentir seu corpo estremecer antes do cinto se desprender de seu pescoço e cair.''

Pietro se vestia de palhaço Rufus para atrair crianças e matá-las. Esta imagem é meramente ilustrativa, não faz parte do projeto do livro.
Entender a mente e o comportamento de cada indivíduo é muito complicado. Em relação ao comportamento do protagonista de ''Beije Minha Bunda'', pode se dizer também que o seu psicológico tenha criado uma defesa tardia em consequência direta aos abusos e agressões sofridas. O repulso sentido na infância e a incapacidade de defesa acarreta anos depois um perfil sanguinário. As mortes, quando mencionadas por ele em trechos ditados em primeira pessoa, são relatadas fria mas prazerosamente.

''Para Pietro, a vida era excitante. Se ele deixasse de praticar qualquer maldade que fosse, seguramente morreria. Seu espírito precisava disso. Se agarrar à vida alheia e roubá-la.''

O enredo toma ares sombrios e sobrenaturais antes mesmo da metade. Alguns acontecimentos extranaturais e macabros deixam ainda mais completa e interessante a obra. Como se não bastasse os temas que Clayton quis anexar a trama, ele usa a sua habilidade mais notória em relação a gêneros literários e enriquece o seu trabalho com o terror proporcionado. A maior parte da narrativa é feita em 3ª pessoa — com exceção de alguns capítulos que são narrados por Pietro, como no capítulo ''Enterrados no porão'', onde o personagem faz confissões que deixam o leitor mais entendido sobre suas atitudes. 

''Talvez eu seja o humano habitando em monstros. Parece loucura, mas essa é a hipótese mais aceita; eu quase nunca tenho domínio sobre meu próprio corpo. Não lembro a última vez que tive uma refeição. Se fosse o oposto, mesmo possuído, eu não sentiria a necessidade de me alimentar?''

O desenvolvimento da trama foi perfeito. As descrições dos assassinatos e abusos foram formidáveis. A estrutura de ''Beije Minha Bunda'' é coerente e aceitável. As personagens expressam suas verdades em meio ao medo e desejo. Um livro com assassinatos, investigações e que comprova mais uma vez que o ser humano é adaptável e torna-se parte do meio que o cerca e o faz.

Senti-me muito contento e satisfeito com a leitura. Senti, em alguns momentos, o pavor das torturas de Pietro. Clayton foi genial nas descrições dos abusos.

Assassino, estuprador, monstro, Diabo? Afinal, o que era Pietro? Deixo essa pergunta no ar como uma análise para vocês que já leram e pretendem ler ''Beije Minha Bunda''. Eu poderia estender ainda mais essa avaliação e falar diversas outras coisas sobre o livro e Clayton De La Vie e todas seriam elogios altíssimos a criador e criação. A Editora Percurso está de parabéns por receber este magnífico autor e oferecer, junto a ele, esta obra de belíssimo material aos leitores. Uma grande editora é formada por grandes líderes, autores e leitores e quanto a isto a Percurso já está no caminho certo.



Por apresentar uma história de eixo central de minha preferência literária e pelo que foi narrado de forma tão genial — mesmo contando com um amontoado de trechos bizarros e muita sodomia, sangue e violência, e talvez por isso mesmo e toda a audácia de Clayton em tornar esta história tão real para os leitores — , não só classifico com 5 estrelas ''Beije Minha Bunda'' como também o coloco entre os meus livros favoritados. Parabéns ao Clayton pela obra. É realmente MAGNÍFICA.



''Somos consequências de atos. Atos dos nossos pais, atos de nossos educadores e, principalmente, somos resultados de nossas próprias atitudes.''

E aí, gostaram do que o Clayton De La Vie escreveu pra gente? Eu adorei. Estou no aguardo de seus comentários. Esta obra também será anexada ao projeto 'OS NACIONAIS MERECEM PRESTÍGIO'. Autor e livro são destaques, merecem com certeza.

Um forte abraço a todos e até a próxima.




Comente com o Facebook:

16 comentários:

  1. OMG! Simplesmente me deixou sem palavras, o que pode parecer confuso sendo eu um escritor. A sua análise, tendo como foco as múltiplas personalidade do Pietro, não só demonstra o seu talento para a escrita como também a sua sensibilidade em relação à psicologia. Não consigo definir o que senti neste momento, pois, ao ler, meu rosto se contorceu em tantos sorrisos que acredito que a minha cara vai explodir em instantes. Você não só conseguiu captar toda a essência da obra como expô-la de maneira magistral. Meus parabéns e muito obrigado!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, meu amigo, eu fico extremamente feliz com os seus elogios, e aí a, toda a sua felicidade é apenas consequência desse teu talento e trabalho exposto tão incrivelmente. Novamente, parabéns.

      Deixo a você um forte abraço e que novas histórias se consagram vindas de você.

      Valeu!!! 👏🏼

      Excluir
  2. A sua resenha está magnificamente soberba Leonardo! Pelo que li na resenha, trata-se de mais uma obra prima nacional. Parabéns ao autor pela magnífica obra. Você conseguiu atiçar a vontade de ler o livro, naqueles que não o leram. Parabéns e um forte abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luciano, meu caro e fiel seguidor, agradeço mais uma vez por tua sinceridade e apoio.

      Quando você puder, leia este livro, você vai adorar também.

      Obrigado mais uma vez. Abraços.

      Excluir
  3. Uauu! Que resenha linda, e que livro maravilhoso. Comportamento humano é um assunto interessante...e falar dele não é pra qualquer um.Parabéns ao autor e a você por nos apresentar algo tão fascinante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Geane, obrigado!

      Imagine só, tema como comportamento humano, enriquecido com aquela pitadinha de terror. O livro é fantástico.

      Excluir
  4. O Clayton de fato é um cara incrivel, como pessoa como escritor e merece todo o prestigio. Estou lendo um livro dele tmb e posso dizer que estou encantada pela sua escrita. Parabéns ao Clayton pelo livro e para voce Léo, pela resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Érica, firmo ainda mais os seus elogios ao Clayton. De fato, ele é muito bom mesmo.

      Obrigado.

      Excluir
  5. Conhecendo o Clayton, não tenho dúvidas sobre seu talento. Ele foi o primeiro parceiro literário e trouxe-me muita sorte.
    Sobre sua resenha, parabéns por ter captado com sensibilidade a proposta do autor.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  6. Fala Fernando, obrigado!!!

    Ahh, o Clayton é incrível mesmo. Merece todo sucesso possível.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  7. Boa noite, que linda resenha Leo, parabéns adorei...

    ResponderExcluir
  8. Oi Beta, obrigado pela visita e elogio. Agradeço.

    ResponderExcluir
  9. Que baita resenha hein Léo,nunca li nada do Clayton, quando divulguei a obra la no blog, já tinha ficado louco para ler, agora então nem se fala. Abraços!

    ResponderExcluir
  10. Fala meu amigo Evandro, obrigado!!!

    O Clayton escreveu pra gente uma obra magnífica, indico para todos os amigos. Mais um livro favoritado para a minha coleção.

    É muito bom te rever por aqui.

    Forte Abraço.

    ;) ;) ;)

    ResponderExcluir
  11. Que resenha fascinante adorei, parabéns vou ler com certeza.
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  12. Agradeço o elogio mais uma vez.

    Leia sim, quando puder não pense duas vezes.

    Beijos.

    ResponderExcluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd