sábado, 21 de maio de 2016

e-Book não é caro, você que é mão de vaca, por Clayton De La Vie


e-Book não é caro,

você que é mão de vaca
Categoria: Tecnologia

Não é necessário estudo para percebermos que, nos últimos anos, a tecnologia tem mudado completamente a rotina do ser humano. Graças à constante inovação tecnológica, inclusive, o mercado editorial abriu uma nova categoria, onde autores, iniciantes ou não, conseguem disponibilizar as suas obras com mais facilidade: os e-books.

Motivo de discriminação por parte de muitos leitores, os e-books vêm conquistando cada vez mais espaço nas estantes virtuais — afinal, com eles, surgiram leitores adequados.
O receio em ler e-book, muitas vezes, é compreensível, já que gera um certo desconforto quando a leitura precisa ser interrompida por culpa de uma chamada no celular ou uma luz que pisca na tela do computador indicando uma mensagem em alguma rede social, e por aí vai. Entretanto, aqui, não são esses os pontos que pretendo abordar, mas, sim, os valores dessas obras.

Em média, um livro impresso — aqui no Brasil — custa em torno de R$25,00; um valor razoável, se levarmos em consideração o tempo que o autor investiu para concretizar o trabalho, a revisão textual, a editoração, a diagramação, a impressão e demais serviços editoriais e gráficos.

Contudo, o e-book tem um valor ainda mais baixo; no Amazon, uma plataforma online conhecida mundialmente, por exemplo, há livros que custam apenas R$1,99, e diversos leitores têm reclamado dos preços. Muitos alegam que, por não serem impressas, essas obras não deveriam custar tanto, como se o preço fosse gritante a ponto de assaltar as suas carteiras.

No Brasil, atualmente, há aproximadamente 10 milhões de leitores digitais segundo pesquisas, o que equivale quase a 10% da população.

O que muitos não sabem, ou fingem não saber, é que o fato de o livro não ter sido impresso não anula todo o trabalho empregado em sua criação, tal como o tempo gasto durante a escrita, a revisão e, acredite, a diagramação. Fazer um e-book não implica somente em disponibilizar o texto on-line, são necessárias algumas horas de treino até que o autor aprenda a manipular determinado programa e apresente como resultado final um e-book que, assim como o livro físico, não agrida a sua visão.

Portanto, caro leitor, se você acha que o livro perde o valor simplesmente por não conseguir tocá-lo ou sentir o tão singular cheirinho de livro novo, se acha que o trabalho do autor deve ser desmerecido ou que ele não se empenhou o suficiente para que você se sentisse agradado, está na hora de repensar algumas situações.


Comente com o Facebook:

16 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Eu não tenho problemas em ler e-books, se a história for boa lei sem nenhuma dificuldade. Realmente algumas pessoas tem sim essa dificuldade, ou até mesmo preconceito contra e-books, eu mesma como escritora tenho dificuldades em encontrar parceiros que queiram ler os meus livros digitais. Adorei Clayton. Muito bom mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por teu comentário Érica, bjos.

      Excluir
    2. Ainda há, sim, uma certa discriminação quando o assunto é livro digital, mas aos poucos os leitores se acostumam. Obrigado, Érica. Beijos

      Excluir
  3. O número impressiona aproximadamente dez milhões de leitores digitais. Muitas pessoas ainda tem certa resistência quanto a ler um e-book, porém creio que com o tempo isso acabe de vez, até porque a nova geração prefere e-books ao livro físico por muitos motivos, dentre eles a facilidade de ler em praticamente qualquer lugar, cito ler o e-book dentro de um ônibus indo para o trabalho é um dos inúmeros exemplos. O preço do e-book é barato de fato 1,99 não causa prejuízo financeiro pra ninguém, a pessoa só não adquire se não quiser. Matéria muito boa Clayton, ficou show. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Luciano, obrigado por comentar.

      Excluir
    2. Muito obrigado, Luciano. Abraços, querido.

      Excluir
  4. Não sou mão de vaca, prefiro fisico gosto de pegar folhear alem de senti o cheiro, tenho a miopia q a cada ano aumenta então num vou dar um centavo em e-book se um dia perder a visão quero poder abri a boca e dizer comprei e toquei e não me arrependo.Acho que os livros e-book esta cada vez mais aumentando numero de pessoais virtuais vai chegar uma hora que as redes não vao suportar de tanto download.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por expor tua opinião, beta.

      Excluir
    2. Oi, Beta, tudo bem? Sugiro que releia o artigo com atenção, afinal exponho unicamente - assim como também critico - as pessoas que, além de lerem os e-books, afirmam que os valores estão altos sem se darem conta de todo o trabalho e tempo investido na concretização do projeto.

      Excluir
  5. Clayton, quero agradecer por aceitar meu convite e fazer parte desse momento especial do Blog.

    Adorei tua publicação e concordo com a sua visão.

    Acredito que até para os menos favorecidos, o valor dos ebooks seja amigável. O que muitos não entendem é que por trás do que é exibido na telinha do aparelho, também houve trabalho, como bem explicado no seu texto. Não seria justo distribuir esse material de graça.

    E, sim, realmente Ebook não é caro. Não mesmo. Sou leitor de livros digitais e, embora realmente para aqueles que sofrem com problemas visuais o desconforto seja maior, acho a leitura muito agradável.

    Excelente assunto que gera, decerto, um bom debate.

    Forte abraço, meu amigo e parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu agradeço muito pelo convite e espero continuar contribuindo com o seu trabalho! Abraços.

      Excluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Diante da tecnologia, e de um mundo totalmente voltado para ela, ainda existe pessoas que não conseguem mexer sem ajuda, com isso não faz uso de tais ferramentas. Sabemos que a facilidade que se tem em ler hoje em dia é enorme, no entanto nem todos aderiram a tal tecnologia, as pessoas ainda preferem o livro físico. Confesso que pegar um livro para ler é um prazer e tanto, no entanto, admito que depois conheci o amazon, tenho dado abertura para os e-book, isso porque em locais que não poderia levar o livro, sentia falta, e hoje ter a possibilidade sentar numa clinica à espera do médico e poder fazer uma boa leitura é excitante demais, no entanto alguns livros lidos em e-book, ainda quero em físico, penso que é questão de apego mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Geh, grato por seu comentário. Beijos. 😀

      Excluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd