terça-feira, 17 de maio de 2016

Literatura cristã, por Érica Christieh


Literatura cristã
Categoria: Religião

Não é segredo para ninguém que livros religiosos escritos por padres ou pastores fazem o maior sucesso em livrarias do mundo todo. Aqui no Brasil não é diferente. Em 2014, segundo o ranking do PublishNews, a terceira parte da autobiografia do bispo Edir Macedo, "Nada a perder 3", vendeu mais de 750 mil cópias e foi o livro mais vendido do ano. Livros escritos por padres recorrentemente figuram nas listas de mais vendidos. Uma questão a se observar é que raramente encontramos livros cristãos nas vitrines das livrarias que não tenham sido escrito por pessoas que estejam na mídia. Então, onde estão os outros livros, se sabemos que há autores, editoras e leitores de sobra?

''Raramente encontramos livros cristãos nas vitrines das livrarias que não tenham sido escrito por pessoas que estejam na mídia.'' - Érica Christieh

Há muitos por aí, escritores talentosos e cheios de vontade de mostrar para o mundo do que são capazes de fazer, inspirados na palavra de Deus. Lycia Barros, escritora cristã brasileira, recentemente postou em sua página no Facebook, que em breve o seu livro "A Bandeja, qual pecado te seduz?" será transformado em uma longa-metragem. Isso sem sombra de dúvidas é um grande passo para a literatura cristã como um todo no cenário nacional. Mas a pergunta é, porque quase ninguém apoia a literatura cristã? Por que não vemos livros como o de Lycia Barros ganhar destaque na literatura nacional?

''Por que quase ninguém apoia a literatura cristã?''

Há dois anos, quando finalizei o meu primeiro romance cristão intitulado como "Um amor para vida toda", as primeiras editoras que enviei o meu original foram as denominadas cristãs. Todas recusaram, com a desculpa de que já haviam livros parecidos em seus catálogos ou que meu livro não encaixava-se com os padrões estabelecidos pelas editoras.

O mesmo livro foi aprovado por cinco editoras e publicado em 2015 pela Editora Buriti. Quando o mesmo foi apresentado para o mundo, fui muito criticada duramente. Algumas pessoas chegaram a me dizer para desistir, porque ninguém hoje em dia lê livros "religiosos". Houve um preconceito contra a minha obra e as pessoas o rejeitava por se tratar de um romance cristão.

Livro ''Um Amor Para Vida Toda'', publicação da Editora Buriti.

Infelizmente esse não é um caso isolado. Eu, como leitora, canso de ir em livrarias cristãs e não encontrar livros de romance evangélico. Não tenho nada contra livros de cunho teológico, mas sou amante da literatura e não me sinto representada pelos títulos atuais, e quando vou procurar algo que se adéque a mim é um sacrifício. Existe uma barreira entre as livrarias cristãs — até mesmo em livrarias conhecidas — e o romance cristão.  Recentemente criamos um grupo só de escritoras cristãs para podermos mudar esse quadro no Brasil. Mudar a visão de que assuntos religiosos são chatos e cansativos. Lutaremos pelo nosso espaço, por que não?

O escritor americano Jerry Jankins vem mudando esse quadro. Autor dos livros "Deixados para trás" I, II e III, "O apocalipse"  transformados em longa-metragem — é um dos exemplos de bons romances cristãos. Leia e descubra que não é ruim como você imagina.




Links relacionados:


Comente com o Facebook:

19 comentários:

  1. Obrigada Léo pelo espaço. Mas uma vez adorei participar do Marcas Literárias. Foi um prazer meu amigo. Grande beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu é que agradeço minha querida. Foi prazeroso ter você entre os convidados.

      Beijos.

      Excluir
  2. É verdade Érica infelizmente no Brasil existe um enorme preconceito em relação a literatura cristã. Além de existir preconceito em relação a literatura nacional,o preconceito quanto a literatura cristã é muito maior, muito se deve ao fato de no Brasil haver muitos evangélicos, as editoras acham que o produto cristão não vende, e muitas vezes se questiona até a qualidade do mesmo. É uma pena, porém acho complicadíssimo mudarmos esse quadro aqui no Brasil. Abraço Érica, adorei a sua matéria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luciano, como sempre uma ótima visão sobre o texto. A Érica mandou bem. Valeu pelo comentário.

      Excluir
  3. É lamentável saber que existe talentos nacionais,como o seu Érica que são deixados de lado para que os "famosinhos da literatura" tenham mais valor. Como tu disse na sua matéria Romance Religioso, não é aquela coisa chata e cansativa, é a questão que as pessoas virializam tudo. Não é porque é um escritor de casa que a obra deixa de ser boa, na maioria das vezes acaba sendo até melhor que muitos escritores de nome por ai. Mas isso ai continue na luta, para levar a arte da literatura para as pessoas, e quebrar esse preconceito literário. Matéria 10!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente Emídio. E temos que ser o diferencial nisso tudo,fazermos nossa parte. Obrigado por sua presença.

      Abraço.

      Excluir
  4. Érica, minha querida, eu achei o seu texto muito expressivo. Você relembrou pra gente uma realidade do nosso cenário.

    Existe sim um preconceito relacionado não somente a literatura cristã quanto também a outras formas de comunicação cristã. É de muita importância que essa categoria se torne também um dos elementos 'ativos' da literatura pois, assim como qualquer outra categoria, abrange situações cotidianas, ensinamentos humanos, idealização social e tantos outros temas.

    O povo deve parar de se 'assustar' quando o lance é o cristianismo e parar de generalizar esse termo e perjurá-lo como algo que irá te impor a tal doutrina. Não é assim!

    Autores nacionais que se afeiçoam com essa categoria e demonstram grande talento — cito você própria — devem sim se empenhar para mudar esse quadro gradativamente tendo como um exemplo o grande JJ.

    Érica, eu agradeço afetivamente a sua presença aqui no Marcas Literárias. Foi honrável recebê-la. Abrir as portas do blog para você ficar à vontade e transmitir sua visão é, sobretudo, imprescindível. Aqui todos tem o direito da livre expressão. Adorei. É mais uma matéria que soma o conteúdo do #ML o deixando ainda mais completo.

    Beijos. Obrigado por aceitar o convite. A sua presença é fundamental.

    ;)

    ResponderExcluir
  5. Eu que agradeço por mais essa oportunidade Léo. Obrigada mesmo! Vamos lutar para mudar essa realidade. Grande beijo.

    ResponderExcluir
  6. Olá, quanto tempo que ando sumido daqui. A Erica como sempre arrasando no que fala. O texto realmente sensacional, muito bem estruturado e contendo uma triste realidade. Pois mesmo que os livros deste segmento são muito bem vendidos, por outro lado há aqueles que os ignoram.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabriel, tá sumido mesmo hein. Muito obrigado por expressar aqui a sua visão. Seja bem-vindo novamente.

      Abraço.

      Excluir
  7. Amei o texto da Erica, muito bom! Também acho que no brasil não se tem muito espaço para a literatura cristã

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Michael, meu amigo, uma honra tê-lo aqui novamente.

      Obrigado por tua opinião. Concordo com você.

      Abraços garoto.

      :-bd

      Excluir
  8. Érica, quero parabenizá-la pelo excelente texto. Apesar dos preconceitos, peço que não desanime e continue seguindo com seus ideais.
    Beijos do Fê!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por teu comentário, Fernando.

      Valeu.

      Excluir
  9. Texto interessante!Realmente existem muitos escritores bons por aí, e que fala da palavra de Deus sem o cunho lado A ou lado B está certo. Creio que muitos não valorizam tais leituras pelo cansado discursos que há por aí, de um Deus vingativo, e que, se não o seguires ele lhe castigará. Então diante da forma que muitos impõem a sua fé, alguns não sentem a vontade para uma leitura desse cunho, pois não querem ser apontados como o filho que não atende ao pai, mas de um leitor que quer conhecer os dois lado de forma leve sem as regras imposta, pois tudo que é imposto se torna um fardo. É preciso que parem de rotular de forma negativa algo que não conhece e fazem isso apenas pelo que imaginas e quem escreve que não desista, pois mais cedo ou mais tarde seu trabalho será reconhecido e valorizado como deve ser. Belo texto amiga. Parabéns!:-bd

    ResponderExcluir
  10. Olá Geh, bela visão sobre o texto. É um tema que dá o que falar, com certeza e que diverge em muitos pontos de vista.

    Obrigado pela presença.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. Bela matéria, Érica.
    Concordo plenamente com seu raciocínio sobre essa questão. Sou cristão e realmente percebo um certo preconceito fitado na literatura cristã. Inclusive, estamos, aqui em Belém, nos movimentando para iniciarmos um clube de leitura voltado especificamente para livros cristãos, assim conseguiremos romper o preconceito estabelecido e explorarmos os romances dessa categoria.
    Fico feliz por ter sido forte, depois das pesadas críticas, pois nem todos sobrevivem aos bombardeios. Deus continue te inspirando e te concedendo criatividade em abundância para escrever mais e mais.

    Léo, parabéns pelo blog. Você é o cara.

    ResponderExcluir
  13. Patrick, obrigado pelo elogio, mas o blog não existiria sem todos, dessa forma, somos todos responsáveis por esse espaço tão bem aproveitado por vocês.

    Feliz por expor tua visão, e desejo boa sorte com o clube de leitura, é uma excelente iniciativa. Que dê tudo certo e que os admiradores, adeptos e não conhecedores, se voltem ao projeto de vocês.

    Abraço fraterno.

    ResponderExcluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd