sexta-feira, 20 de maio de 2016

Mercado literário brasileiro, por Gabriel Caetano


Mercado literário brasileiro
Categoria: Analítico

Olá, amigos leitores do blog Marcas Literárias, estou aqui a convite do Leonardo Otaciano, o sensacional responsável por este blog que com toda certeza vocês já conhecem. Antes de entrar propriamente no assunto, gostaria de me apresentar. Sou Gabriel Caetano, tenho 17 anos, sou graduando em Serviço Social, faço um curso de Francês, sou blogueiro e escritor. Sou apaixonado pelo mundo literário. Em linhas gerais, é isso.

O mercado literário e editorial brasileiro é um assunto que quero tratar com vocês, pois é algo que vem me incomodando bastante nestes últimos dias. O que  podemos observar é que muitos trabalhos realmente bons são deixados de lado e esquecidos por partes de editoras que se dizem brasileiras. No decorrer deste post elencarei um pouco mais sobre esta problemática.

''Algumas editoras apostam muito em livros de pessoas que já tem um certo conhecimento do público, e mesmo que o livro não fale nada com coisa nenhuma, mais eles querem o livro publicado...''

Não adianta fecharmos os olhos para esta realidade, muitas editoras que foram criadas no Brasil, que deveriam dar mais atenção aos escritores nacionais, acabam esquecendo-os, contudo mais de 90% das suas produções são de autores estrangeiros, e que muitas vezes ocorre do livro ser extremamente chato e maçante, mas pelo simples fato de levar o nome do escritor X ou Y, já é motivo para as editoras moverem o mundo para ter aquela obra com o seu selo editorial. Podemos ver que, se o escritor, mesmo que já tenha vários títulos publicados, ambos ainda encontram dificuldade de achar uma editora com um preço acessível ao seu bolso, pois convenhamos, não é toda vez (quase nunca) que temos 17 a 20 mil reais para entregar a uma editora razoavelmente conhecida para conseguir um contrato considerado de regular a mediano de publicação. Raramente vemos editoras fazendo parcerias de publicação com autores, especialmente quando são desconhecidos, fato este que nos leva a outra problemática.

Um outro fato que me deixa extremamente enojado é que, algumas editoras apostam muito em livros de pessoas que já tem um certo conhecimento do público, e mesmo que o livro não fale nada com coisa nenhuma, mais eles querem o livro publicado, e PAGAM ao "escritor" preços altíssimos. E os escritores fantasmas? Aqueles seres humanos anônimos que escrevem e como são incapazes de ter seu próprio brilho, vendem os seus escritos para pessoas que já tem nome no mercado, perdendo assim a chance de ser um famoso escritor.

Deem a vocês mesmo a chance de conhecerem histórias e estórias maravilhosas e muito bem transmitidas por talentosos autores brasileiros.

Dados os fatos, coloque-se no lugar de um autor nacional, que faz o possível e gasta o que não tem para conseguir realizar o seu sonho, que é ver seus livros nas prateleiras de uma livraria, contudo este sonho se torna algo...digamos...que utópico para alguns.


Aproveite sempre a oportunidade e apoie um escritor nacional. Deixe o velho preconceito de lado, e dê uma chance aos escritores de casa, pois tenho certeza que você não vai se arrepender.  Caso ainda não saiba por onde começar, acesse este blog, pois você encontrará dicas incríveis. Como falei no começo, sou blogueiro. Acessem também o blog Geekie Books, e encontre posts semelhantes a este.

Abraços e até mais.



Comente com o Facebook:

13 comentários:

  1. Muito bom Gabriel. Verdade nada agradável essa meu amigo! Grande beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Érica, sua presença é essencial. Obrigado por acompanhar-nos nessas atividades.

      Beijos.

      Excluir
    2. Muitíssimo obrigado, Erica. Fico muito feliz que tenhas tirado um tempinho para conferir o que eu escrevi.

      Excluir
  2. Olá Gabriel a sua matéria ficou muito boa. As grandes editoras aqui do Brasil infelizmente somente visam o lucro, querem lucrar e lucrar e lucrar. Deixam na maioria esmagadora dos casos a qualidade de lado! Não adianta ter talento e ter uma obra coerente e de bom conteúdo, se não tiver o dito NOME(PROPAGANDA E MARKETING que as editoras grandes investem pesado nesse quesito, pois sabem que o retorno financeiro é garantido. Portanto é muito injusto realmente, assim como a vida na maioria dos casos. Outro detalhe importante é que nós mesmo as vezes endeusamos alguns grandes nomes da literatura estrangeira e, esquecemos que aqui no Brasil existem escritores(a talentosos que são tão bom quanto os de fora, e até superando-os. Se nós que somos daqui não valorizamos o que é daqui, imaginem uma grande editora. Então verdade seja dita nós temos uma parcela de culpa nisso. Forte abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luciano, agradeço pelo apoio.

      Valeu.

      Excluir
    2. Concordo também com suas observações, Luciano.

      Abraços.

      Excluir
    3. Olá Luciano. Ficou muito grato que tenhas gostado do post.

      Infelizmente, essa é uma grande realidade para os nossos autores nacionais. Estou escrevendo agora o meu primeiro livro e já percebo o preconceito que as pessoas têm.

      Mas, vamos nos unir, e mudemos esta situação.

      Excluir
  3. Bem pertinente teu texto, confesso que ninguém nunca colocou em minha cabeça o que era bom quanto questão de leitura, eu descobrir sozinha o gosto pela leitura e descobri que os livros que me encantaram foram literatura nacional, os estrangeiros vinheram depois, mas assim, acredito que a valorização começa quando você faz certas escolha. Muitos adoram o que vê, curtem e valorizam o que é belo. Penso que é questão de valor que se dar tal escrito ,pois as pessoas compram ilusão, esperança, não adianta postar dificuldades, do quanto não és valorizado imaginando que vão se condoer e comprar seu livros, as pessoas por natureza compram grandeza e esperança. Dê isso a eles, e te amarão e te respeitarão pra sempre. Conheço estrangeiro em sua árdua busca para ser publicado, claro que a editora querem nome para alavancar seus nomes também, e quem de fato não almeja isso? Estar no topo, ser lido e reconhecido por todos, isso é um sonho de todos que escreve. O que não devemos esquecer e que é o mais interessante é a busca, pois nada é fácil nessa vida, o que vem fácil, se vai fácil também. O importante mesmo é criar estratégias que melhor chegue ao público que almeje alcançar. Texto interessante Gabriel, encanta com a proporção dele, e sua idade. Parabéns moço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre objetiva e honesta. Admiração por você, querida. Ótimos comentários e visão.

      Beijos.

      Excluir
    2. Obrigando Geane, valeu pelo seu apoio. Fico feliz que tenhas gostado e adorei o seu comentário.

      Beijos.

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Gabriel, meu querido amigo, agradeço a você pela presença e participação nessa atividade idealizada e desenvolvida pelo #ML, sua presença por aqui é motivo de verdadeira alegria.

    Seu texto está ótimo e muito enriquecido com análises que na verdade não são somente suas, muitos tem o mesmo pensamento e seguem esse ponto de vista transmitido por você. Creio que, de certa forma, parte do público leitor brasileiro é o culpado pelas escolhas das editoras nacionais. Usando um pensamento bem objetivo, entendo que, se o público se alimenta de estrangeiros e enriquece as editoras e autores internacionais consagrados por os escolherem, fica óbvia a escolha das editoras para este conteúdo que ''dá dinheiro''. É simples de entender. é como no tráfico de drogas; se há tráfico é porque há quem compre, é assim que funciona.

    ''Mas, Léo, você tá dizendo pra galera parar de comprar livros estrangeiros?''

    Não.

    Não podemos impor a ninguém as suas escolhas. Se preferem o material que vem de fora do nosso país, é porque querem. Pode ser lamentável, entristecedor até, mas impor aos leitores a compra de produtos nacionais - no caso aqui estamos falando dos produtos literários -, seria errado. Educação vem de berço, e se hoje pensam assim, é porque foram educados dessa maneira, a movimentarem seus olhares ao que não é nosso.

    O que temos a fazer é trabalhar e trabalhar. O reconhecimento do talento dos nacionais virá somente através do trabalho. Se for realmente bom, mais cedo ou mais tarde irão perceber e reconhecer. Acredito que as críticas sejam sim necessárias - se bem que nesse caso, assim como nas falhas do governo em relação a educação, saúde, trabalho, etc, nem émais uma crítica em si, é apenas a amostra de uma realidade descontente do Brasil.

    Vamos trabalhar. O empenho é o fundamento para o avanço. Muitos aqui já são autores - iniciantes ou não - e independente do tempo de estrada, ainda lutam para serem vistos de uma melhor forma.

    Continuem escrevendo belas histórias, por amor, com determinação... com o objetivo de tanger o próximo. Vamos adiante, com respeito e verdade alcançaremos o reconhecimento.

    Parabéns pelo texto. Muito expressivo e que promete um belo debate.

    Abraços fraternos, meu amigo.

    :-bd

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigando meu querido amigo, por este convite. Adorei participar do seu blog. Como já te falei, você é uma pessoa sensacional, e seu comentário foi espetacular.

      Grande abraço.

      Excluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd