segunda-feira, 16 de maio de 2016

Xantipa, por Geane Santos


Xantipa
Categoria: Filosofia

Hoje tecerei alguns comentários a uma pessoa que, para mim, deveria ser feita uma estátua em sua honra mostrando quão guerreira esta fora, ela sim merece todos os aplausos, Xantipa! Ela mesma. Não sabem quem é? Mas, acrescento que era a esposa do filósofo Sócrates. Agora sabem, né? Sócrates foi aquele que muitas contribuições nos deixou e que muito me fez questionar. Ele, o Grande, o tal, aquele que o Oráculo de Delfos afirmou que era a personagem mais sábia do mundo. Ele mesmo, Sócrates. Como no Templo de Delfos, tinha tais inscrições "conhece-te a ti mesmo" e diante de tal afirmação do oráculo a seu respeito, o filósofo começa a se questionar que nada sabia. "Só sei que nada sei". Após pensar, chegou a conclusão que o oráculo afirmou que só é sábio quem reconhece sua própria ignorância.

Sócrates, apesar de tão importante figura do pensamento ocidental, fora condenando a beber cicuta, pois fora acusado pelo tribunal de Atenas de infidelidade dos deuses e de corromper a juventude com sua filosofia. Sabemos que nada deixou escrito, e isso me questiona. Por que não escrever? Será que não sabia?

Sabemos que alguns autores julgam que a escrita serve apenas para o conhecimento de forma acabada. Como este privilegiava o diálogo, não priorizou a escrita. Toda informação foi escrita pelos seus seguidores, a exemplo de Platão, este de fato seguiu a risca e com uma admiração sem igual.

Diante de tantas afirmações e comentários a sua pessoa, e de leituras feitas há um tempo em livros e debatidas em sala de aula, confesso que me incomodou a forma como o filósofo se dirigia a sua esposa Xantipa, conhecida pela sua natureza irascível e escandalosa. Muitos escritos falam dela de forma muito dura, coisa que me incomodou. Muitas das vezes, questionado por aceitar tão odiosa esposa, ele respondia: "Mas acostumei-me a ela", "como se acostuma ao rangido de uma velha bica. Você não liga para o grasnar dos gansos". Em outro momento, questionado ele disse: "De qualquer modo, case-se. Se você tiver uma boa mulher, será feliz. Se tiver uma mulher como a minha, será filósofo..."

Para melhor compreender faz-se necessário falar um pouco sobre Xantipa, apesar de que pouco se tem sobre ela, e o pouco que se tem, é muito negativo. Sendo ela a mulher que entrou para a história como uma megera que estava sempre a tratar mal o marido, não podemos esquecer que Xantipa era muito mais jovem que o filósofo, pois este casou já idoso.

Sócrates e sua esposa Xantipa

Diante disso, Xantipa tinha que conviver com um homem que tinha idade de ser seu avô. Homem mal cheiroso, descalço, sem nenhuma vaidade e que se vangloriava sempre em não ser apegado a luxos e conforto. Tinha, na verdade, uma vida parca. Este evitava até beber ou comer quando não tinha vontade. Que jovem era essa que tinha que suportar tal vida? Vejo muitos textos falando mal dessa criatura e não consigo me convencer que ela era uma má esposa.

Diante do homem que tinha não poderia ser uma esposa diferente, ou poderia? Não entendo de fato o que a sociedade queria de uma esposa. Que cuidasse da casa, que dessa atenção ao seu marido e filhos, e que estivesse linda e pronta para encantar e esquentar a cama? E o que se esperava de um marido? Aí é que está, de tanto falar bem do Sócrates e de suas contribuições, o endeusaram tanto que demonizou a sua esposa. Será que pararam para pensar de fato quem era a Xantipa? Como vivia? Será que estava feliz na relação? O que levava a ter tais ações? Possivelmente ninguém se preocupou com tal pessoa.

Sócrates em função de seu ideal atraia jovens atenienses, falando em praça pública se tornando uma pessoa respeitada e admirada pela qualidade de orador e sua inteligência, aumentando assim sua popularidade, e com isso o moço em sua empolgação esquece-se das obrigações familiares, pois quando se tem uma família, precisas cuidar. No entanto, este saía parecendo aqueles que apregoavam a boa nova e, simplesmente, ia de um lugar para outro sem dar atenção à esposa e filhos. Vivia assim, longos dias distante de casa.

Quando Sócrates retornava vinha acompanhado de seus admiradores, e o pouco de alimento que tinha em casa, que a esposa conseguira, ele queria que ela dividisse. Aí eu me questiono: Quem é a mulher que em seu juízo normal permaneceria com uma figura dessa tão desocupada? Que homem é esse? Não tinha como ser admirado por sua esposa. Considerado o homem mais sábio, e ao mesmo tempo tão desprovido de um sentimento que todo o pai de família tem: COMPROMISSO e RESPONSABILIDADE para com os seus. Por isso a irritação da esposa.

Entendam! Como deveria ser a vida da esposa desse moço? Em muitas das vezes ela puxou a toalha da mesa e jogou água no moço, quebrou coisas... pois ela queria um homem de verdade, que chegasse em casa com dinheiro para comprar comida e não que entrasse em casa com um monte de jovens para lhe trazer mais bocas para alimentar. Só quem é mãe e pai de verdade sabe o que isso significa. Não posso acreditar que esse era o mesmo homem que falava tão bem em praça pública e cuidava para o bem-estar social, o homem que fez da sua atividade filosófica musa para o seu sucesso. A atividade se dava em duas etapas; a primeira era ironia, o filosofo se expressava, indicando o oposto do que pensava ou conhecia, com isso levava o interlocutor a ter uma opinião e ao mesmo tempo levava a perceber que pouco sabia. A segunda etapa era conhecida como a maiêutica, fazendo referência a mãe que era parteira.

Então meus amigos, diante de tal situação, cabia a Xantipa a responsabilidade que não era só dela, e por isso, meus aplausos a mulher guerreira que se preocupava com a família e até mesmo com o próprio Sócrates. Muitas vezes ela se questionou: Como um homem tão inteligente não aceitava dinheiro pelo que fazia? Os filhos precisavam comer, mas quem deveria se preocupar com tais questões?

Enquanto Xantipa estava a travar sua batalha em prover a casa, o seu querido esposo estava a iniciar os jovens na sexualidade, seduzindo-os. Tornando um sedutor, usando a sedução de belos jovens como primeiro degrau em direção ao inteligível.

Sabemos que na Grécia antiga o homossexualismo era visto como simbolismo e virtualidade, não era visto apenas como uma prática, mas como um rito de passagem, Chamada de Pederastia. Com isso, o histórico sexual de Sócrates contabiliza inúmeras relações durante toda a sua vida. E, enquanto estava na busca de seu intento, abandonava a família.

Homossexualismo na Grécia antiga

O que se percebia era que Sócrates não amou de fato sua esposa, pois sobre ele falava horrores. No entanto, se declarou ou ao menos perdera um momento para falar do que houve com o moço Cármides, como nos diz:

Cármides sentou entre mim e Crítias. Nesse instante, amigos, fiquei atrapalhado e me vi abandonado da confiança habitual, com que contava para conversar naturalmente com ele (...). Olhei para dentro das vestes de Cármides e me senti abrasado e fora de mim, tendo então compreendido quão sábio fora Cídias em matéria de amor, por haver aconselhado alguém, com referência a um belo jovem: "Cuidado deve ter a corça tímida, do leão não se aproxime, para presa dele não vir a ser". Eu de mim, já me julgava nas garras de semelhante fera. (Cármides 155c – e).

Sócrates foi condenado. E Xantipa pediu que o marido desistisse de suas ideias, como qualquer mulher que não quer ver morrer o pai de seus filhos, ainda lhe arrumou um advogado, mas este não acreditava que o advogado o livraria, e foi ele mesmo o seu defensor, e falou a todos o que oráculo tinha dito sobre ele. E diante dos argumentos apresentados, ainda assim fora sentenciada sua morte. E ele? Ah! Aceitou numa boa. Será verdade isso? Não posso crer. Como um homem pode simplesmente não temer a morte, uma coisa é sabermos que a morte virá, as doenças aparecerão... outra coisa é a chance de poder viver, mas o filósofo aceita seu fim de bom grado.

"O ideal no casamento é que a mulher seja cega e o homem surdo." - Sócrates

Em minha cabeça tal ação não me convence, este morrera por seus ideais, por uma causa, pois lhe digo: Jesus também morreu por uma causa e quando ele viu que de fato as coisas estavam apertando, ajoelhou-se e começou a orar: "Pai, se queres, afasta de mim este cálice". Lucas 22:42

Enquanto isso, Sócrates disse não à ajuda dos amigos, à vontade da esposa, ao olhar dos filhos, e aceitou sua morte de boa. Como assim de boa? Estranho, porque até um animal no momento de partir, sente a dor da morte e suas carnes tremem.. Sócrates não, este aceitou e se foi feliz. Em nenhum momento o texto apresenta um Sócrates temeroso.

O que não podemos esquecer é que tudo a nós apresentando não foi dito pelo Sócrates, contaram em seu lugar. E quem contou certamente tinha uma paixão pelo filosofo, pois o endeusaram. E me pergunto, esse homem existiu mesmo? Ou foi mais uma invenção do ser humano? Mas enfim, só penso que a Xantipa foi uma mulher e tanto. Possivelmente ela daria bem no século XI, pois uma mulher como ela não se encaixava naquela época. Aplaudo de pé pela ousadia de ir até Sócrates e desafiá-lo, mostrando que apesar de ser visto como o mais sábio do mundo pelo o oráculo e endeusado pelos seus discípulos, para ela, ele era apenas mais um homem como qualquer outro, cheio de defeitos e desocupado, e que não fazia o que para ela era importante, tomar rédea de sua própria vida.

Referencias:
CLARET, Martin. O pensamento vivo de Sócrates
Apologia de Sócrates, Cármides, Líside, Eutífrone, Protágoras, Górgias. Tradução de Carlos Alberto Nunes. Edições Melhoramentos: São Paulo, s/d.





Comente com o Facebook:

30 comentários:

  1. Respostas
    1. Emídio, cara, como é bom te ver por aqui, fico muito contente com o seu comentário e presença. Vai ser ainda melhor vê-lo do lado de cá, hehe.

      Fico feliz que tenha gostado.

      :)

      Excluir
  2. Nossa eu amei essa matéria! Parabéns Geane. Falar de filosofia e principalmente de Sócrates à que muitos dizem ter sido o homem mais sábio do planeta, é sempre legal e ao mesmo tempo controversio. Xantipa pouco se fala e até muitos nem a conhece, os méritos foram todos para Sócrates. É lamentável como o machismo existe desde os remotos tempos, e até nos dias atuais ainda existe o tal machismo. Sabemos que avançamos porém ainda é pouco pra essa geração atual que sabemos que é muito diferente de outras gerações. Aplausos para a Xantipa que por detrás de Sócrates ela que na verdade foi a grande guereira e merece ter o reconhecimento que não teve. A mulher é tida como uma megera, uma criatura praticamente ridicularizada, uma pena de fato.Parabéns ao blog MARCAS LITERÁRIAS pela iniciativa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luciano, você é fera! Um exímio leitor, antes de tudo. Sempre degustando o que é bom e interagindo com o galera.

      Valeu! 👏🏼

      Excluir
  3. Eita! Começou bem. Materia incrível. Adorei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Érica, bom revê-la aqui. Sempre me deixa superfeliz quando vem.

      Viu só como vai ser maravilhosa essa semana? E está só começando, hein.

      Beijos.

      Excluir
  4. Incrível, matéria digna de aplausos. Minha querida Geane, parabéns, você sempre me faz enxergar as coisas com novos olhos.
    Obrigada, infelizmente a sociedade patriarcal não morreu mesmo depois de séculos. O machismo continua reinando e prejudicando muita gente. Sócrates podia ser até o mais sábio, mas Xantipa, era a evolução em pessoa, uma controvérsia de seu tempo, uma mulher do século XXI presa no passado, a um homem preocupado com a sociedade e despreocupado com sua família.
    Amei a postagem e voltarei com certeza.
    Beijinhos de uma fofoqueira que te admira muito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kaah, um prazer receber você novamente no Marcas. Sua visão sobre o tema é tão fantástica! Gostei.

      Beijos.

      Excluir
  5. Parabéns, Geane! Um relato espetacular e que deve servir de alerta e exemplo para muitos homens e mulheres, pois, certamente temos muitos Sócrates(Desprovidos da inteligência) e Xantipas(Desprovidas de coragem,) no mundo atual. O machismo ainda impera e das piores formas: velada e consentida. A mulher continua sendo negativada diante de novas atitudes, sejam elas "certas" ou não. A mulher de hoje continua presa a subserviência conveniente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo Gerson, bom recebê-lo aqui no nosso cantinho para debatermos a literatura.

      Sua interpretação sobre o texto é digna.

      Abracos.

      Excluir
  6. Parabéns! Uma olhar sobre Sócrates nunca visto por mim antes.Muito interessante sua postura diante dos fatos. Gostaria de poder bater um papo com você sobre outros assuntos, pois sei que dominas muito bem. Me

    ResponderExcluir
  7. Parabéns nunca me atentei em buscar saber sobre isso gostei muito e vai me ajuda quando surgi um debate sobre Sócrates.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Geh mandou muito bem mesmo, estou feliz que a galera tenha gostado.

      Excluir
  8. Olá, essa semana também estarei por aqui, do lado de cá, junto aos seguidores, comentando com a galerinha que faz do blog um canal ativo de comunicação e informação.

    Quero parabenizar a você, Geane, pelo belíssimo texto que impõe aos leitores uma visão super interessante de Xantipa. É interesante perceber que, mesmo naquele tempo já tínhamos pessoas como ela, que teve a coragem de se impor às tolices de seu marido e foi guerreira até o fim. COmo já disseram nos comentários anteriores, realmente uma mulher fora de seu cenário da época, com um pensamento muito diferente daqueles tantos que se escondiam.

    Ainda hoje temos isso em nossa sociedade, que vive os reflexos de pensamentos da 'escola' de Sócrates.

    Parabéns e obrigado por aceitar fazer parte dessa semana especial do #ML.

    Beijos e sucesso, Geh.

    ;)

    ResponderExcluir
  9. Luciano, meu querido!! Muito bom saber que você gostou da matéria, pois como já disse outras vezes gosto de saber sua opinião sobre as coisas. Ler sua opinião sobre algo que escrevi me deixa lisonjeada. Disseste bem, de como o machismo existe desde os tempos remotos, e perpetua nos dias atuais, o diferente é essa possibilidade da liberdade de expressão que me permite escrever um texto desse, e homens como você comentar, e realmente perceber o quanto a mulher tem sido diminuída e até ridicularizada. Isso é prova de que as coisas estão mudando, lentamente, mas está. Obrigada moço!

    ResponderExcluir
  10. Emídio, Obrigada pelo incrível! Isso é prova que gostou, e acima de tudo compreendeu o meu ponto de vista. =D7

    ResponderExcluir
  11. Uauuu! Ela por aqui?Que bom que gostou. Fico feliz! Obrigada !!:-bd

    ResponderExcluir

  12. Obrigada por comentar anônimo! Se apresente e conversaremos sim, “ Só sei que nada sei” rs.

    ResponderExcluir
  13. Kali, sua linda!! Muito feliz com o seu comentário, pois comentou de forma encantadora, fico feliz em ter uma amiga tão jovem e tão inteligente a ponto de me surpreender com seu comentário. Te admiro muito fofoqueira linda,
    Beijinhos!!=D7

    ResponderExcluir
  14. Gérson, meu querido! Fico feliz que tenha gostado do texto, fico mais feliz ainda pela contribuição digna de aplausos. Encantada moço!:-bd

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu quem agradeço por partilhar conosco seu conhecimento e sua visão diferenciada, o que me faz lisonjeado por sua amizade! Bjs

      Excluir
  15. Obrigada anonimo! Que bom que gostou. Espero que realmente te ajude nos debates por aí. Fico feliz em poder contribuir.

    ResponderExcluir
  16. Érica minha querida! Que bom Você por aqui, e saber que gostou, me deixa feliz. Obrigada=D7

    ResponderExcluir
  17. Querido Léo, quero antes de qualquer coisa agradecer pelo espaço e o carinho que trata aqueles que são empenhados com a leitura, e com isso cedeste um espaço em teu blog para que pudéssemos de certa forma nos apresentar. Isso é prova de valorização da pessoa leitor. Confesso que venho acompanhando o blog e digo com todas as letras, nunca me senti tão bem em outro espaço como sinto aqui, digo pela forma como todos são tratados, e isso meu querido só mostra o quando o espaço é sério, um espaço comunicativo, e participativo, mostrando o diferencial sempre!!
    Fico feliz que tenha gostado do texto e certamente compreendeu minha intenção ao escrevê-lo. Realmente, a sociedade, vive esse reflexo nos dias atuais, pois como vem desde o inicio de tudo, muito difícil mudar uma sociedade machista. Mas estamos mudando, as pessoas estão abrindo os olhos e percebendo a importância da mulher na sociedade. Muito bom ler seu comentário saiba que é de extrema importância para mim um comentário teu. Digo isso porque tenho uma grande admiração por sua pessoa, e és para mim um dos melhores autores brasileiros e que merece aplausos, Obrigada moço
    ;)

    ResponderExcluir
  18. Parabéns Ge pelo maravilhoso texto, que vc continue nos proporcionando outros belíssimos textos que tenho certeza que virão. Bjs

    ResponderExcluir
  19. Que pensamento bacana, confesso que fiquei admirado com o seu ponto de vista, bem pensando, endeusaram tanto o Sócrates que esqueceram o lado humano dele. Parabéns amiga!

    ResponderExcluir
  20. Parabéns amiga!Belo texto.

    ResponderExcluir
  21. Parabéns Geane gostei você é de mais garota.

    ResponderExcluir
  22. Parabéns Geane gostei você é de mais garota.

    ResponderExcluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd