sexta-feira, 3 de junho de 2016

Entrevistando: M.V. Barcelos, autor do livro ''Horror na Colina de Darrington'' e embaixador do Wattpad

Que tal entrarmos em uma colina cheia de acontecimentos estranhos e envolventes? Que tal irmos mais adiante e invadirmos uma casa que esconde segredos terríveis e sombrios? Meses atrás fui contemplado na literatura nacional com um livro que me chamou a atenção enquanto eu navegava nos sites de compras Online. Não tive escolha, fui instigado pela premissa da obra e comprei! A partir de então, encarar os caminhos tortuosos que a mente humana pode apresentar quando perturbada, seria necessário. Como já mencionado no título da matéria, estou falando de ''Horror na Colina de Darrington'', escrito pelo fantástico autor M.V Barcelos. Quero expressar a minha admiração por este autor, um cara que além de talentoso, transmite muita humildade e carisma. Nós, da equipe do Marcas Literárias, nos reunimos para recebê-lo de braços abertos da maneira mais propícia, bem aqui, num cenário que ele entende e sente-se muito bem, onde muito terror e sangue rolam soltos e a loucura é capaz de invadir seus visitantes propagando-se com eficiência e rapidez em suas almas. Sejam todos bem-vindos em mais um bate-papo muito especial entre todas as partes; vocês, o autor e nós da equipe #ML, que dessa vez os acolhemos literalmente num âmbito bem sombrio, estreando a 'produção cenográfica dos bate-papos' aqui no blog, que apresentará cenários bem apropriados de cada autor em suas respectivas entrevistas. Repararam, não é? O que acharam? Espero que tenham curtido essa novidade. Ah, falando em curtir, curtam também a página do M.V. Barcelos no Facebook e o sigam no Wattpad, não esqueçam! Agora, vamos nessa que a entrevista já tá começando...

Links sugeridos:


''Fui crescendo e a paixão pela escrita e pela leitura cresceram comigo... Parece que os personagens ficam falando na minha cabeça, implorando para que eu escreva suas histórias...''


1) Olá meu amigo Marcus Vinícius, estamos muito contentes em recebê-lo no Marcas Literárias. Nosso bate-papo agora será feito de forma coletiva e além de mim, os colaboradores do blog também lhes farão perguntas. Seja bem-vindo.

M.V. Barcelos: Muito obrigado pela oportunidade, Leo! Sou fã do blog, admiro o trabalho que fazem por aqui e é uma honra participar deste bate-papo.

2) Obrigado, ficamos felizes em ouvir isso. Então, vamos lá... Marcus, para começar, nos diga quem é M.V. Barcelos. Afinal, como você se define, tanto no meio literário/profissional, quanto no pessoal?

M.V. Barcelos: Acho que me definiria "determinado". Já lutei muito pelos meus objetivos e aprendi que as conquistas não vêm de forma fácil. Tudo o que vem fácil demais é passível de dúvidas, e acho que levo isso como um lema, tanto na minha carreira quanto na vida pessoal. Batalhar e trabalhar muito, sempre na intenção de atingir minhas metas e evoluir, em todos os aspectos da minha vida.

3) Assassinato, medo e loucura. Estas são três palavras que fazem parte da sinopse e definem muito bem o livro ''Horror na Colina de Darrington''. O que te fez levar o enredo para este âmago tão enfático? Quanto tempo levou para concluir a escrita do livro? Fale um pouco sobre ele pra galera que ainda não o leu.

M.V. Barcelos: O “Horror na Colina de Darrington” nasceu como uma vontade de contar uma história de suspense e terror sobrenatural, episódica, que fosse direta e impactante, como a realidade costuma ser. As coisas acontecem sem que haja muito tempo para percepção, e o leitor vivencia em tempo real os sentimentos do protagonista. Quis criar personagens que pudessem ser moldados de acordo com o desenrolar da história, de forma única por cada pessoa que lesse, e um enredo que fosse complexo e entremeado, mas acelerado ao mesmo tempo. Por isso trata-se de uma história relativamente curta. Quis criar algo bem visual, para ser lido como quem assiste à um filme, por isso muitos leitores chamam minha obra de "livro-filme", o que acho bem legal. Escolhi essa temática pois desde o início quis desenvolver uma trama chocante, e que envolvesse o que há de pior nas pessoas. O terror, afinal, nem sempre é feito só de monstros sobrenaturais... ;)

4) Nas informações pessoais na orelha do livro, você diz que escreve desde os dez anos. Como eram suas histórias? Algumas ideias ou personagens daquele tempo sobreviveram?

M.V. Barcelos: Quando comecei, escrevia de tudo um pouco. No início eram histórias sobre o meu cotidiano, então comecei a criar situações fictícias e personagens, até que escrevi o primeiro livro, "O Arquivo Secreto", uma história sobre dois policiais que precisavam resgatar um disquete com informações confidenciais que tinha caído nas mãos de criminosos. Veja bem, disquete! Hahaha...
Então, li o primeiro livro do Stephen King da minha vida, "O Iluminado", e me apaixonei instantaneamente. Naquele instante eu descobri que era no terror que eu caminharia. Quanto a ideias e personagens que sobreviveram, acho que mantive a vontade de escrever de forma bastante visual. Sempre gostei de criar histórias que fossem o mais imersivas possível.

5) Qual a sua visão sobre o mercado literário atual? Muitos autores iniciantes têm medo de encarar o meio literário e investir em sua carreira, o que de fato é até normal. Costumam ficar de pé atrás em relação a qualidade de suas histórias. Você tem alguma dica pra driblar essas expectativas ruins?

M.V. Barcelos: Uma dica excelente é procurar sempre evoluir. Dificilmente alguém escreverá um best-seller de cara, como primeiro livro, então devemos sempre ter consciência de nossas qualidades e limitações, procurando aproveitar o que for bom e melhorar o que tivermos de deficiência. A melhor forma para isso é a prática da escrita e a leitura. Ainda, um dos pontos mais importantes é: confie no seu trabalho. Confie na sua capacidade e coloque-a à prova. O mercado literário é um mercado difícil, mas não é impossível, então basta termos determinação e vontade de vencer.

6) Editoras, blogs, fãs, amigos, família. Qual a importância de cada um desses para o M.V. Barcelos?

M.V. Barcelos: Família, para mim, sempre vem em primeiro lugar. Minha noiva é a minha "leitora ideal", sempre a primeira a desbravar meus manuscritos e sempre a primeira a dar dicas valiosas. Meus amigos, fãs e leitores, por sua vez, são extremamente importantes, sempre com feedbacks excelentes e mensagens de apoio e suporte. No final das contas, escrevemos para eles, então a opinião importa muito e é sempre bem-vinda! Blogs são essenciais, e sou muito grato por todo suporte e divulgação que recebo. Por fim, mas não menos importante, quando não publicamos de maneira independente, as Editoras desempenham um papel grandioso, e funcionam como uma casa para nós, autores, onde sempre podemos buscar respaldo e orientação, e ajudam muito em nosso desenvolvimento profissional.

7) Já tive a honra de te conhecer e de prestigiar-te em um evento aqui na minha cidade. Na ocasião, recordo que você falou sobre vilões e citou algumas vezes o magnífico Pennywise. Quando você cria suas histórias, geralmente pensa primeiro nos vilões ou nos heróis? O que um vilão precisa ter de essencial para ganhar a admiração do leitor?

M.V. Barcelos: Na minha opinião, vilões são tão essenciais quanto os heróis. Quando existem, são sempre a motivação da jornada do herói, e precisam ser bem construídos para dar credibilidade às ações e decisões do herói. Hoje em dia, por exemplo, muitos vilões roubam a cena e acabam fazendo tanto sucesso quanto ou mais que os próprios heróis.


Foto com o autor no evento literário em Duque de Caxias, RJ - LiteraCaxias 3ª edição, março 2016

8) Em relação a escrita, qual a sua associação com Stephen King? Há muita influência do estilo do cara em sua escrita? E seus escritores preferidos, quais são?

M.V. Barcelos: Tenho influências de muitos autores, principalmente os que escrevem o mesmo gênero que eu, como por exemplo H.P. Lovecraft, Anne Rice, Bram Stoker, Edgar Allan Poe, R.F. Luchetti, Andre Vianco, Clive Barker... Mas posso dizer com 100% de certeza que as maiores influências vêm do Stephen King. Costumo dizer que ele é o meu mentor, e além de fã do seu trabalho, estudo bastante suas características.

9) Olá Marcus, sou a Geane, uma das colaboradoras do Marcas Literárias, tudo bem? Sabemos que quem escreve, escreve de algum lugar. Na criação do livro ''Horror na Colina de Darrington'' você tirou inspiração de algum lugar, talvez de um fato, uma experiência pessoal?

M.V. Barcelos: Oi, Geane! Tudo bem? Bom, para o "HNCD", busquei inspiração nos grandes clássicos, e quis criar uma história que contivesse características de diversos títulos que gosto. Procurei utilizar alguns temas conhecidos, como a nossa boa e velha casa mal-assombrada, mas sem cair nos clichês que vemos por aí. Posso dizer que o "HNCD" é uma singela homenagem a tudo que admiro nas histórias de terror.

10) Quando você começou a escrever, pensou em um público alvo, atentando para o mercado, ou escreveu apenas pela vontade de escrever?

M.V. Barcelos: Todo escritor, na verdade, escreve primeiramente por que gosta. Poucas pessoas sabem, mas escrever é um trabalho árduo, muitas vezes solitário, e a perseverança é uma característica que tem que estar sempre presente. No entanto, quando escrevemos um livro para publicar, temos que mirar em algum caminho e desbravá-lo. Não necessariamente escrever um livro para o mercado, escrito de maneira técnica e calculada, mas um livro para um público que esteja procurando o que você pensa em oferecer. Um livro de terror, por exemplo, pode não agradar a todos, principalmente quem não tem o costume de ler este tipo de leitura, mas com certeza agradará aqueles que gostam do gênero. Ainda, pelo menos no meu caso, sempre escrevo o livro que eu gostaria de ler.

11) Diante do livro lido, percebemos os ensinamentos, mas para você próprio, quanto autor da obra, quais ensinamentos que o livro trouxe?

M.V. Barcelos: O principal foi: nunca desistir. Batalhei por muito tempo para chegar onde estou, e continuo batalhando. Este primeiro livro publicado abriu muitas portas e tenho certeza que muitas outras ainda se abrirão. Meu objetivo é continuar seguindo o meu caminho da melhor forma que eu puder, pois sei que o meu melhor livro publicado sempre será o próximo.

12) Fala Marcus, sou eu, Luciano, beleza? Quando você decidiu entrar de vez no mundo dos autores, teve apoio de sua família e amigos mais próximos ou eles foram indiferentes à sua escolha? Afinal, nem todos autores recebem apoio familiar.

M.V. Barcelos: Oi, Luciano! Tudo tranquilo, e com você? Então, nesse quesito acho que tirei a sorte grande. Escrevo desde muito novo, e tanto a minha família quanto meus amigos sempre apoiaram e incentivaram. Fui crescendo e a paixão pela escrita e pela leitura cresceram comigo. Mesmo trabalhando em outras áreas com o passar dos anos, nunca deixei de escrever. Hoje em dia, não vivo somente da escrita, mas ela já tem um papel extremamente importante na minha vida.


 ''[...] tanto a minha família quanto meus amigos sempre apoiaram [...] Minha noiva é a minha 'leitora ideal', sempre a primeira a desbravar meus manuscritos e sempre a primeira a dar dicas valiosas.''

13) Além de escrever, quais são seus outros Hobbies? Conte algumas curiosidades sobre você.

M.V. Barcelos: Quem me acompanha nas redes sociais vê claramente que minha vida é basicamente dividida em: literatura e esportes. Hahaha. Além da leitura, presente em todos os momentos do meu dia-a-dia, sou um praticante assíduo de atividades físicas e já fiz de tudo um pouco. Inclusive, sou treinador de Boxe Inglês certificado da Federação de Boxe do Estado do Rio de Janeiro. Atualmente pratico CrossFit 6 vezes na semana. Além dos esportes, gosto muito de filmes, séries e videogame. Também não vivo sem meu videogame.

14) Ainda vemos um certo preconceito da galera por literatura nacional, o que fazer pra acabar com esse preconceito?

M.V. Barcelos: Exatamente o que vocês fazem por aqui e, diga-se de passagem, fazem com maestria. Precisamos incentivar a literatura nacional, incentivar o que os nossos autores nacionais produzem. As pessoas precisam descobrir que temos tanto a oferecer quanto os estrangeiros. São títulos e mais títulos excelentes de autores nacionais, dos mais variados gêneros, que muitas vezes passam batido pelos leitores somente pelo fato de serem nacionais. Mas acho que esta situação, felizmente, está mudando. Temos ganhado cada vez mais espaço nas prateleiras e nossos autores tem ganhado cada vez mais notoriedade, com muitos sendo contratados por grandes editoras.

15) Oi Marcus Vinícius, prazer, aqui quem pergunta é o Emídio. Qual sua visão a respeito de aplicar meios lúdicos de literatura nas escolas, enfatizando escritores nacionais atuais?

M.V. Barcelos: Oi, Emídio, o prazer é meu! Acho uma ideia excelente, principalmente pelo fato de incentivar a leitura. Eu mesmo, por exemplo, já visitei algumas escolas e faculdades para falar sobre literatura, sobre ser escritor, sobre o meu livro, e a aceitação do pessoal tem sido excelente. Nas minhas visitas, sempre procuro falar da importância da leitura, de tudo o que já conquistei com ela e com a escrita, e sobre os problemas que nós, autores nacionais, enfrentamos. Nestas conversas, cito exemplos de sucesso e indico obras nacionais de qualidade. Tenho certeza que, cada um de nós fazendo a nossa parte, logo logo a literatura nacional estará ainda mais difundida.


''Felizes aqueles que fazem o que amam! Muito bom poder compartilhar um pouco do que sei com essa garotada na Feira de Livros do Colégio Pentágono, afinal de contas comecei a escrever com a idade deles!''

16) Sobre ler e escrever, qual dica que você dá para quem quer escrever seu primeiro livro?

M.V. Barcelos: Persistência, estudo e muita, muita prática. A leitura e a escrita são como os treinos dos atletas, importantes e essenciais para a nossa evolução.

17) Léo aqui de novo, Marcus! Cara, também sei que você escreve contos, crônicas e poesias, fala pra gente um pouquinho sobre eles e onde encontrá-los. Aproveite, e responda pra galera, é verdade que ''Horror na Colina de Darrington'' vai ter continuação? Nos revele esses projetos que 'estão no forno' e os futuros também.

M.V. Barcelos: Estou sempre escrevendo alguma coisa nova, nessa pegada de terror e suspense, e parte dos meus trabalhos pode ser encontrada no Wattpad, onde também atuo como Embaixador. Meu usuário por lá é o MVBarcelos! Quanto à continuação do "Horror na Colina de Darrington", ela é real e já está em produção! Além da continuação, existem outros projetos em andamento, inclusive com uma novidade sensacional para este mês de junho. Ainda não posso divulgar, mas acho que vocês vão gostar... ;)

18) Agora ficamos todos ainda mais empolgados com esta novidade de junho, haha, vamos ficar atentos, com certeza! Bom, como é o seu processo de escrita? Você tem alguma mania? Traça parâmetros para o desenvolvimento ou simplesmente deixa a história de conduzir até o desconhecido? Para os admiradores do gênero, dê umas dicas que você considere valiosas para uma boa confecção de histórias de suspense/terror.

M.V. Barcelos: Acho que todo escritor tem alguma mania... Eu, por exemplo, gosto de desenvolver os personagens, traço a traço, e começar a imagina-los nas situações, antes mesmo de começar a escrever o livro. Parece que os personagens ficam falando na minha cabeça, implorando para que eu escreva suas histórias... Quando já tenho um enredo em mente, faço as pesquisas que forem necessárias e vou esboçando a trama, para saber como o livro começa e termina. Assim que já tenho a ideia geral, começo a escrever o livro. Muitas vezes, enquanto estou escrevendo, surgem novas ideias, e estou sempre aberto a elas. Já mudei um enredo inteiro que estava escrevendo por conta de uma ideia que surgiu na hora. Boas ideias são sempre bem-vindas! Como dica, acho importante uma pesquisa legal sobre o tema que se vai escrever, para poder dar profundidade ao livro. Não precisa ser um livro gigantesco, mas ele precisa ter profundidade, precisa ter credibilidade nas ações dos personagens e nas reviravoltas da trama. E para isso ficar ajustado, é sempre bom praticar, praticar e praticar... :)

19) Ótimas dicas Marcus, agora deixe uma mensagem pra galera do Marcas Literárias e para teus fãs. O que você tem a nos dizer?

M.V. Barcelos: Nunca desistam dos seus sonhos. Parece clichê, mas é um conselho e tanto. Os dias são cada vez mais corridos e complicados, o que pode acabar nos levando a desistir de fazer o que amamos para fazer algo que nos dê um retorno mais rápido. Ou seja, acabamos vendendo nossos sonhos... Isso, infelizmente, pode ser um caminho sem volta, onde a vida fica em segundo plano. Mesmo já tendo um livro publicado à venda nas livrarias, ainda não consigo viver da escrita. No entanto, luto todos os dias com unhas e dentes para que isso seja uma realidade tão breve quanto possível. O importante, creio eu, é acreditar em si mesmo e no seu sonho, por mais distante que ele possa parecer.

20) Queremos agradecer a sua presença. Obrigado por aceitar o convite do Marcas Literárias. Espero que tenha gostado do nosso bate-papo conjunto. Ter você conosco, passando um pouco de suas experiências e ideais é muito gratificante. Você é um autor que eu e toda a equipe admiramos demais. Desejamos Sucesso e que venham logo as novidades. Um forte abraço de cada um, grande M.V. Barcelos. Valeu!

M.V. Barcelos: Fico extremamente feliz com estas palavras e honrado em ter participado. Como já disse, o Marcas Literárias é um dos blogs que fazem a diferença, o trabalho de vocês e a preocupação em incentivar a literatura nacional são importantíssimos para nós, autores. Obrigado pelo convite e obrigado por tudo! Forte abraço, M.


Uaaaaaau cara, que show! Vocês gostaram do bate-papo tanto quanto nós? Estou me sentindo um verdadeiro convidado. Tô com aquela sensação de já conhecer o Marcus de muitos e muitos anos. O cara é muito gente boa e nos deu dicas valiosas sobre muitas coisas, transmitindo suas experiências e curiosidades com firmeza e muita empolgação. Isso foi fantástico. Ele é um exemplo de muita determinação. 

Em nome de todos, agradeço novamente ao M.V. pela honra que nos deu e pelo carinho com o blog. É muito bom saber que estamos indo pelo caminho certo, ouvir isso de vocês, autores, é sem dúvida, gratificante. Continuaremos na luta por uma 'popularização' ainda maior da nossa literatura. Obrigado!

Galera, agora preciso da colaboração de vocês. Que tal um comentário? Deixe sua opinião aí em baixo sobre o nosso bate-papo especial com o M.V.. O que acharam do cara? Já leram o seu livro? Ele e nós queremos saber.

Deixamos a todos os nossos abraços.

Valeu, até a próxima!

Comente com o Facebook:

14 comentários:

  1. Nossa que entrevista show. Simplesmente ficou Top! Adorei essa interação maior da equipe do blog com o entrevistado, fantástico.Parabéns ao Marcus Vinícius pela obra, que simplesmente foi magnífica e genial. Ainda mais se tratando de um gênero que o brasileiro não está habituado a ler. Forte abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ae Luciano, palmas a vocês também, que chegaram ao grupo para somar com eficiência. A equipe tá mostrando dedicação, isso é ótimo. A interatividade tá melhor sim.

      Eu adoro terror e acho que TODOS deveriam se habituar mais com esse gênero. Assim como o M.V. disse, nem sempre é só de monstros sobrenaturais que se define um terror.

      Abraços.

      Excluir
  2. Muito feliz com o esse bate papo, confesso que fiquei encantada com o autor, respostas coerentes e inteligentes. Autores como estes é que nos inspiram, fortalecendo o desejo em escrever e de acreditar em si mesmo. M.V.B. é um escritor que está na luta buscando chegar a todos, e acreditando sempre na sua potencialidade.. E isso, com certeza, só o engrandece.
    Muito bom saber coisas do autor, pois ao ler um livro, muitas vezes nos questionamos. Quem é essa pessoa que fala? De onde fala? É por que fala? Essas questões nos são respondidas quando um trabalho desses é feito. Uma entrevista, no qual deixam ambas as partes a vontade, tanto entrevistado quanto entrevistador.
    Fiquei super feliz em poder participar do banquete. O Marcas Literária a cada dia vem mostrando sua originalidade, mostrando pra que veio, e apresentando o melhor conteúdo. Parabéns ao Autor pela entrevista.:-bd

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Geh, ficamos todos felizes com a participação do grupo. Dessa vezo querido Michael não pode participar, mas outras virão.

      Conhecer o autor dessa forma é tão bom. A gente percebe que a distância entre os leitores e ele não é grande, nos sentimos próximos e consequentemente isso acarreta muito contentamento. Muitos que se inspiram se sentem ainda mais influenciados por ícones talentosos como o M.V. quando descobrem que ele também passa por muitas dificuldades que o cenário literário impõe e veem que a determinação é fundamental.

      Beijos.

      Excluir
  3. Gostei da entrevista, o autor realmente é carismático, eu particularmente leio pouco livros de terror, mas certamente esse livro estará nas minhas próximas leituras!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se aventure nessa história Emídio. Agora já conheces quem a escreveu. Éo momento perfeito para encarar esse terror tão bem escrito e desenvolvido. O cara é fera mesmo.

      Valeu!!!

      Excluir
  4. Nossa que legal esse bate papo, não conhecia mas já adorei, pena que aqui na Espanha acho que não tem livro dele..Gostaria de convidar você para fazer parte da nossa plataforma para bloggers..Vou deixar o link da uma olhada..
    www.feedhi.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário.

      É um livro que recomendo, sem dúvidas. Procure saber direitinho, vai que há possibilidade de entrega na Espanha!

      Vou visitar teu link também. Valeu!

      Excluir
  5. Ótima entrevista Léo! Muito bom conhecer autores novos, talentosos e cheio de garra. Gostei muito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que ótimo Érica, bom te rever por aqui, sua presença é sempre um contentamento.

      Quando você ler HORROR NA COLINA DE DARRINGTON me diz o que achou, mas sei que você vai adorar.

      Beijos.

      Excluir
  6. Léo, adorei a entrevista. Marcus é uma pessoa maravilhosa e possuidor de uma talento incrível. Amei as perguntas, as dicas do Marcus e a visão dele sobre os vilões. Todos estão de parabéns. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, ficamos inteiramente felizes em saber que tudo foi transmitido da melhor e mais descontraída forma.

      O Marcus é mesmo um cara muito inteligente e cheio de boas dicas. Mostrou muita humildade e repassou pra galera coisas muito importantes.

      Valeu por sua presença novamente. Um abraço.

      Excluir
  7. Caraca, meu velho! Que entrevista firmeza com o Marcelo! Super curti! (E o cara é muito... uau!)

    Escritores como ele merece nosso respeito, pois escritores assim devem estar no primeiro lugar no podium! Aplausos e mais aplausos! :-bd

    Abraços!
    Danny
    Participe do sorteio Dia dos Namorados no Irmãos Livreiros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Viu só, Danny? O cara é mesmo super demais. Além de ter talento é muito humilde pra passar aos demais as suas dicas.

      Adorei a tua visita aqui no Blog, amigo, obrigado.

      Vou lá participar do sorteio, e dessa vez eu vou ganhar o/

      Abraço Danny


      :)

      Excluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd