sábado, 25 de junho de 2016

[Resenhando] ''Mistério na Casa da Rua Severin'', de Leonardo Otaciano

A proposta de hoje é nos envolver com um livro de ficção com um  misto de suspense e muitos mistérios. Seguindo a semana especial em homenagem ao autor Léo Otaciano, eis mais um título do autor. Desde cedo experimentei tal gênero, e sempre fora divertido para mim. Essa estória me contagiou e  possivelmente contagiará você também. Embarquem comigo nessa viagem!


Título: Mistério na Casa da Rua Severin
Subtítulo: A História dos Desconhecidos
Autor: Leonardo Otaciano
Publicação: 2014
Editora: Agbook / Clube de Autores
Gênero: Suspense juvenil
Páginas: 178


Sinopse: A história se passa em fevereiro de 1987. É uma exposição das memórias de Érico Hurz, um jovem complicado que aos quatorze anos, em razão das últimas discussões com o pai, foi mandado para a casa de Bárbara Retten, sua tia, moradora da cidade de Caçador, Santa Catarina, para passar o restante do verão. Érico e a irmã Kethelyn, jovem de dezesseis anos que partiu com o irmão para as férias forçadas de 1987, conhecem os seus primos Brendon e Michael Retten, irmãos de doze e quatorze anos que escondem dolorosos maus-tratos de infância. Bárbara e os guris trabalhavam na lavoura do senhor Lhidvan Severin, austero polonês e detentor das grandes economias da cidade naquele tempo. Érico conhece a linda Abigail Bardini, grande amiga de seus primos e apaixona-se a primeira vista. Michael torna-se ''o elemento principal'' da obra por saber demais sobre os homicídios da família Severin. Tempos depois, ao perceber que é vigiado pelos fantasmas dos poloneses, o esquisito e oportunista Michael envolve os demais em um jogo urdido conduzindo-os diretamente à casa velha e abandonada da Rua Severin. Coisas estranhas e sobrenaturais começam a acontecer embrulhando-os cada vez mais dentro do mistério. Os jovens conseguirão descobrir quem foi o assassino cruel capaz de matar os Severin anos atrás?

————————

Sempre adorei contos que eram envolvidos pelo suspense e mistério, minha avó Clarice (in memorian), apesar de não escrever, tinha a habilidade de contar. Adorava cada conto que ela contava, sempre era uma diversão cada conto apresentado e os mistérios e o suspense se faziam presentes. Penso que suspense é de suma importância na construção literária, pois consiste em surgir diante de um perigo, uma esperança. Passei à infância me envolvendo com os livros da Série Vagalume, as capas de livros desde sempre foram minha paixão. E o livro "Mistério na Casa da Rua Severin", tem uma capa belíssima, o que de certo modo fui aguçada a desejá-lo.

O livro, inicialmente nos apresenta uma observância acerca da obra, explicada pelo personagem, que depois de vivido a aventura, decide nos contar. E com isso no primeiro capitulo nos coloca a par das coisas. Inicialmente questionei o porquê de o autor nos adiantar certas coisas. Mas com a continuação da leitura percebi a importância dessa ação. Seguindo a estória que sucede tal capítulo, nos é narrado pelo personagem Érico, que todos os chamavam de Eric, um adolescente, zambeto que  pela falha de um olho muitos de certa forma riam dele, por tais características.

Érico Hurz e Michael Retten, personagens do primeiro volume da trilogia ''A Rua Severin''

Eric, diante de ter visto certa cena em que seu pai traíra sua mãe apresenta um comportamento diferenciado, diante desse comportamento o que se percebe é um sentimento de ciúmes,  diante disso, apronta na escola para de certa forma  chamar a atenção do pai. Esse sentimento é natural. O filho que pega o pai traindo sua mãe, ou o contrário, é uma situação aterradora, e com isso o conflito de lealdade se misturam com a mágoa e a raiva, e penso que nenhum filho aceita muito bem isso. 

"Um dia daqueles deixei de amá-lo e nem precisei avisar, ele soube por meios  próprios o motivo do meu desapego. O anacrônico vivia um grande embuste com a senhora minha mãe; tinha uma cama para deitar e outra boca para beijar."

E diante desse turbilhão de sentimentos o nosso Eric apronta na escola e como castigo por suas ações, o pai o manda pra casa da tia Barbara em Caçador. Quando li isso pensei: "Tudo que na infância desejei, um castigo desses. Ir pra casa da tia? Nossa adorava poder ir lá, as  melhores férias, no entanto, nunca teria ou tive tal castigo... rs."

O Eric de fato se assustou e não quis ir, pois o que na verdade acontecia era uma briga entre os dois, "Pai X Filho", um querendo impor sua vontade ao outro. E por fim, o filho a contra gosto, aceitou a vontade do pai. Uma outra coisa bacana na vida do Eric é a irmã Kethelyn, esta se prontificou a seguir o castigo juntamente com o Érico. Senti um misto de felicidade, pois nos apresenta certos sentimentos fraternos... irmão / irmã. Um se condoendo do outro. Quem não já teve um irmão ou irmã que embarcou junto no castigo?

Slide com fotos do livro ''Mistério na Casa da Rua Severin, volume 1''

E nossos personagens seguem sua jornada para Caçador... Ao chegarem a casa da tia Bárbara, Eric se depara com os primos que de início lhe parecem estranhos... Mas surge o personagem instigante, o primo Michael, que passa a encantar com uma estória intrigante do causo ocorrido dos moradores da casa  da Rua Severin,  ocorrido há muito tempo, estes eram uma rica família de origem polonesa  que deixava claro  sua arrogância aos mais simples da cidade, não querendo se misturar a estes. 

Essa família era composta por sete filhos, esposa  e por um patriarca  rigoroso e  cheio de  rancor no coração, se mostrando insensíveis ao outro, e do povo simples que este queria era apenas os esforços, e a mão barata, pois era dono das lavouras e de uma das  maiores fabricas  de um município vizinho. Com isso, este detinha o PODER sobre os mais pobres.

Segundo o sociólogo, Max Weber: "poder é toda a chance, seja ela qual for, de impor a própria vontade numa relação social, mesmo contra a relutância dos outros."  Com isso,  sendo o polonês o senhor por ali, e vendo a escassez econômica daquele povo, utilizou o poder econômico, para aterrorizar a vida do povo daquela cidade e as  circunvizinhas.

E o que mais chocou a todos foi a forma que cada membro dessa família foi morta, e algo intrigava a todos, os seus fantasmas estavam preambulando por ali, assustando e perseguindo. Em meio a tantas novidades aparece a garota Abigail pela qual o Eric cai de amores, e diante disso  quer mostrar o qual corajoso é. 

Diante de tudo apresentado por Michael, e sendo  a tia e os primos a vivenciarem os maus tratos sofridos pelo polonês. Eric curioso que é, decide querer saber mais, pois não consegue entender o porquê disso tudo. Eric decide por fim persuadir a todos a irem àquela casa, na Rua Severin. E decidem juntamente irem a casa que habitou a família e o lugar em que as mortes ocorreram. 

 Antes de irem até a casa, Eric tem a sua primeira experiência com as aparições:

"Tenho certeza que fechei  a porta com o trinco ao entrar naquele banheiro, mas após o banho ocorrido, ao desligar o chuveiro e começar a enxergar-me, ela  destravou-se sozinha. Isso foi no eu pensei na hora, pois certamente  uma porta muito bem trancada não poderia  ser destravada  sem que alguém ou algo provocasse  tal ação."

E aí o sentimento de medo passa pelo garoto, e você se vê contagiada com as emoções. E o mais interessante, a partir daí fica claro que os fantasmas perseguem os primos a muito tempo. Com isso está claro que precisam desvendar o que ocorre à família na casa da Rua Severin.

Ao chegar no lugar onde tudo ocorre, surgem as aparições e fui envolvida por cada ação da garotada e dos fantasmas, e não tem como não sentir o que os personagens viveram, pois você é arrebatado por uma força meio que descomunal a vivenciar cada ação, os batimentos cardíacos seguem junto nesse desenrolar, onde as aparições e personagens lutam por seu espaço existencial.

Penso que o suspense é um sentimento de ansiedade diante um determinado fato, e apesar de não chegar ser apenas pertencente à ficção, podemos viver isso no dia a dia. O Suspense no livro surge quando por falta de tal conhecimento sobre um acontecimento  nos aparece a emoção, significando a combinação da antecipação com a incerteza e obscuridade do futuro, e os nossos  adolescentes vivem a melhor experiência de suas vidas. Penso que o autor  usou as técnicas certinhas de um bom suspense e mistério. Penso que para um bom suspense é preciso provocar a curiosidade do leitor. Isso o autor fez muito bem, provocando e nos fazendo esperar por uma resolutividade. E por cima introduziu questões angustiante que nos deixam desesperado atrasando as respostas que tanto ansiamos.

Com isso, penso que o livro merece cinco estrelas, pois quando imaginávamos ter uma resposta o autor sabiamente nos confundia apresentando outras possibilidade e probabilidade. O livro apresenta uma boa escrita, e seguindo o traço marcante do autor que gosta de usar belas imagens para cada capítulo. Gosto disso, pois nos apetece mais ainda. O autor ainda enriquece o livro, colocando em seu rodapé os significados das palavras, nos situando melhor no inerir de toda a estória. Um livro ainda é pouco pra o banquete que nós é apresentado, e fico feliz que já tenha o dois, e sei que virá mais um, sendo o fechamento dessa ficção, uma trilogia. E com isso a estória do "MISTÉRIO  NA CASA DA RUA SEVERIN" Continua...

O livro é excelente



Comente com o Facebook:

6 comentários:

  1. Agradeço mais uma vez por mais uma resenha vinda de você, Geh.

    O livro exprime, além de todo o suspense, mistério e embates de crenças, questões sociais que permanecem desde as décadas passadas. Uma delas você citou muito bem, o abuso de poder dos mais evoluídos economicamente sobre uma ordem menos favorecida da população. Este, sem dúvida, é o livro que mais trabalhei, e o considero meu melhor opúsculo em termos de técnica, pesquisa e inserção de eixos estruturais e temáticas.

    Feliz demais por sua resenha, muito boa. Obrigado novamente.

    Beijos, e que o 'Mistério' continue...

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito da sua resenha Geane! Você elaborou um belo resumo do opúsculo, revelando detalhes importantes da obra. Adorei. Forte abraço!

    ResponderExcluir
  3. Obrigada Léo! realmente penso que a escrita está muito boa. E sim se apresenta mais elaborada. Agradeço pelo momento prazeroso!

    ResponderExcluir
  4. Você sempre presente. Adoro isso! Acredito que se por alguma razão eu postar um texto e não ter um comentário teu, sentirei com toda a certeza falta, pois confesso que gosto por demais ler um comentário teu, e sei que adorarei ler você. Obrigada por esse tempos!

    ResponderExcluir
  5. Luciano, o comentário acima não foi com seu nome...rs. Mas é pra vc.❤

    ResponderExcluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd