segunda-feira, 11 de julho de 2016

Entrevistando o autor Josué Matos, um dos representantes da literatura nacional e da Editora PenDragon

Olá meus amigos, tudo beleza? Para começar essa semana com tudo, o Marcas Literárias traz a vocês uma mega entrevista com o querido autor e roteirista Josué Matos, pessoa admirável e um dos idealizadores da Editora PenDragon, que vai estar na 24ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo dos dias 26/8 a 4/9 apresentando o seu belíssimo acervo de obras e autores, tornando realidade o sonho desses jovens escritores.

Quero lembrar que neste ano li as obras que Josué escreveu e me surpreendi com ambas, que abordam temas impactantes e verdadeiros da nossa sociedade. As resenhas desses livros estão disponíveis aqui no blog e as leituras estão entre as minhas melhores do ano. É uma honra para o Marcas Literárias ter mais este fantástico autor em nossa sala virtual de entrevistados convidados.

A equipe do blog convida a todos a se acomodarem em suas poltronas para conhecerem um pouquinho mais sobre esse cara legal que traz dicas e ensinamentos importantes sobre o mundo da literatura. E para quem adora presentes, temos 2 brindes para sorteio que o Josué disponibilizou: um exemplar de ''Fey'' e outro exemplar de ''Eu, Inabalável''. Sendo assim, será um sorteio com 2 ganhadores. As regras de como participar estão disponíveis diretamente na página das promoções da Fanpage do Marcas no Facebook. Vejam através dos links abaixo. Vamos nessa!

Links sugeridos:

''Estimulem seus filhos, primos, irmãos menores, amigos e vizinhos, a ler. Pois a leitura é o que pode salvar esse mundo.''

1) Olá querido autor e roteirista Josué Matos, é uma imensa satisfação recebê-lo aqui no Marcas Literárias. Seja muito bem-vindo. Podemos começar? 

Josué Matos: Olá Léo, agradeço o convite para a entrevista e me sinto honrado em participar.

2) A honra é nossa! Bom, que tal começarmos com uma das perguntas modelo nas entrevistas ? Queremos saber como você se define, afinal, quem é Josué Matos?

Josué Matos: Essa é uma pergunta modelo realmente, rsrsrs. Apesar de sermos como um rio, sempre dou a mesma resposta. Bem, o Josué é, acima de tudo, humano. Isso significa que é imperfeito. A partir dessa aceitação, fica mais fácil aceitar meus defeitos e qualidades. Sou uma pessoa extremamente teimosa, em compensação, tenho um coração enorme. Todos me definem como parceiro, amigo, responsável, correto, honesto e leal, apaixonado por empreender. Me defino como uma pessoa em busca de seu sonho, sem passar por cima de ninguém e, sempre, fazendo o bem. Pois acredito que fazendo o bem você receberá o bem. Ajudar é gratificante, saber que você tocou a vida de uma pessoa e, com isso, a fez feliz, é muito bom.

3) O que te motivou a escrever? Quando surgiu em você esse desejo e quando de fato você percebeu que possuía grandes habilidades nessa esfera?

Josué Matos: Não acho que possuo grandes habilidades na escrita, acredito sim que faço por amor, e procuro sempre colocar algo de qualidade para que o leitor se sinta respeitado e tenha uma excelente experiência com a leitura. Quem me motivou a escrever foi minha mãe que me presenteou com livros quando criança. Gostaria, além de prestar uma homenagem a ela, também enaltecer os antigos vendedores de livros. Naquela época era comum existirem vendedores de livros. Pessoas que colocavam um catálogo de títulos numa pasta e saiam visitando as casas das pessoas. Eram semeadores de sonhos. Hoje existe a internet, que facilita muito as coisas, todavia, às vezes, o que nos trás facilidade nos tira magia...

4) Josué, além do prazer e gáudio que todo escritor tem ao escrever, ao seu entender qual a importância da literatura na vida daquele que escreve e daquele que lê? Por que é substancial um envolvimento com essa ciência, mesmo que não seja tão próximo e frequente?

Josué Matos: Para quem realmente ama escrever, é tão importante quanto respirar, não se consegue viver sem. Para quem lê, vou tentar fazer uma analogia para explicar meu ponto de vista. Somos um balde vazio, se você enche esse balde de coisas sem utilidade, ele acabará se transformando em um lixo. Percebam que a geração de lixo, é uma atividade exclusivamente humana. Bem, agora você é um balde de lixo, você tem duas coisas a fazer: a primeira, se encher mais de lixo e proliferar lixo ou, a segunda, reciclar-se. Na minha concepção quem lê tem uma maior probabilidade de encher o balde com coisas úteis, e com isso, proliferar conhecimento útil. Não estou afirmando aqui que quem não lê é um lixo, tampouco que quem lê é um poço de virtudes, o que quero passar é que quem lê tem um maior senso crítico, uma maior visão de mundo, simplesmente pelo fato de que a interpretação de um livro sempre é de quem lê, enquanto que o de outras mídias é o de quem cria. Outro paradigma que deve ser quebrado é que quem lê é uma pessoa melhor do que quem não lê. Isso é uma inverdade, existem diversas pessoas bem instruídas, cultas, e que cometem atrocidades. Tem leitores assíduos que criticam autores por eles não serem escritores estrangeiros, isso não é ser melhor, isso é vergonhoso. Ou seja, quem lê mais, tem uma chance maior de desenvolver um senso crítico melhor, ter uma visão de mundo melhor. Então, sugiro que nesse momento olhe para o seu balde e veja o que tem nele.

5) Já tive a oportunidade de ler duas obras suas — ''Eu, Inabalável'' e ''FEY: O Enigma de Ur'' —, e confesso que me deslumbrei com sua escrita, enredos e evolução estrutural. Foram leituras que estão entre as melhores do ano. Gostaria que você disesse um pouquinho sobre elas para aqueles que ainda não as conhecem. O que encontramos e quais reflexões você deixou para os leitores nesses livros?

Josué Matos: Obrigado pelo elogio, isso para mim é de grande importância. Bem, o EU, foi meu primeiro livro. Nele procurei confrontar a sociedade atual, expor de forma direta e objetiva a mediocridade do ser humano. O objetivo foi que as pessoas se incomodassem com a escrita, e, para isso, usei sem medo algum, questões sociais que geram conflitos, como opção sexual, assédio e drogas nas escolas. Já em FEY, tentei passar um conselho para o mundo, somos tão ruins que não existe salvação para nossa raça, a não ser, criar uma nova.

Quem me motivou a escrever foi minha mãe que me presenteou com livros quando criança.
6) Ao conhecer teu estilo, além da escrita muito linear e objetiva que consegue prender o leitor com desenvoltura, percebi uma harmonia entre você e as palavras, notei facilmente essa intimidade entre autor e discurso que possibilita uma transmissão perfeita de mensagem, coisa que não acontece com todos. Você tem alguma dica para um melhorar a técnica de escrita? E quais as suas maiores influências literárias?

Josué Matos: Acredito que todo autor deve conhecer técnicas de escrita. Sim, elas existem. Confesso que quando ouço pessoas dizendo que escrever é só colocar palavras no papel, fico realmente incomodado. Minha dica para melhorar a escrita é bem simples, estudem as técnicas. Existem manuais na internet, existem pessoas que dão coaching. Usem isso. E tenham uma coisa em mente, não é ter um “K” no wattpad que vai te transformar em bom escritor, na realidade o wattpad é uma fabrica de autores, e acho isso fundamental e extremamente importante, mas para ser um escritor você precisa ir além de apenas ter a autoria de algo.

Com relação a minha desenvoltura, antes de publicar meu primeiro livro, acatei o conselho de uma pessoa que admiro muito no mundo das letras, o escritor JD Lucas. Ele me disse que cada escritor deve desenvolver seu estilo próprio e não copiar estilos de autores de sucesso, como a grande maioria faz. Ele não poderia estar mais certo. O que mais vejo são textos sem marca própria, formatos e estruturas idênticas a livros americanos. Eu fugi disso. Hoje posso me orgulhar em dizer que tenho meu próprio estilo, se ele é bom, ruim, vende ou não, não é o que mais importa, mas sim, que é único, pois é meu.

7) Olá caro Josué, sou Luciano e faço parte da equipe do Marcas, tudo bem? Gostaríamos de saber a respeito de sua infância, você foi uma criança que lia com frequência? 

Josué Matos: Olá Luciano, tudo bem, obrigado por se juntar a nós. Sim, sempre li muito, agradeço a minha mãe por isso. Gostaria de aproveitar esse espaço e pedir que estimulem seus filhos, primos, irmãos menores, amigos e vizinhos, a ler. Pois a leitura é o que pode salvar esse mundo.

8) Algumas pessoas ainda não sabiam que você, além de um exímio autor é o fundador da Editora PenDragon. O que te levou a criar a editora? Aproveite e chame a galera para conhecer e fazer parte desse magnífico grupo.

Josué Matos: Pois é, a ideia da PenDragon não é exaltar um e sim todos, por isso nunca me apresento como fundador. A editora é de quem faz parte dela.

O que me levou a criar a editora, foi a profunda decepção que tive com minha primeira editora. Era tratado como lixo. Não obtinha informações de nada, tampouco participava da editora de alguma forma. Após essa experiência decepcionante, passei um ano me preparando para montar uma editora. Estudei o negócio, aprendi técnicas de diagramação, editoração e design. Estudei muito a gramática e lancei o livro FEY, sozinho, tudo feito por mim. Fui revisor, diagramador, capista e editor. Quando terminei  tive um retorno surpreendente dos leitores, vi que estava pronto para montar uma editora que fosse na contramão das outras, ou seja, que tratasse bem o autor e fosse transparente em tudo. Isso é a PenDragon.

9) Quanto tempo você levou para elaborar ''FEY'' e quais suas dicas para acabar com o preconceito com os livros e autores nacionais?

Josué Matos: Sempre tive vontade de escrever algo com a premissa de “Matrix”, aliado a minha opinião sincera sobre a raça humana e seus atos estúpidos e egoístas. Quando imaginei o plot principal da história, desenhei a cronologia toda numa folha de papel. A partir daí, foi bem fácil escrever, demorei trinta dias, escrevendo todos os dias sem parar. Ou seja, juntando o planejamento e cronologia, mais a escrita em si do texto, demorou uns quarenta dias.

Minha dica para acabar com o preconceito tem haver com o senso crítico e o balde. Enquanto você continuar aceitando o que os outros te colocam como referência boa, e não defina o que você julga ser, a partir de seu próprio senso crítico, seu balde sempre estará cheio de lixo.

1O) Conte um pouco da sua rotina diária, seus hobbies, gosto musical, pratos favoritos. Você costuma praticar algum tipo de esporte? E quanto a família? É casado? Tem filhos? O que costuma programar junto a eles?

Josué Matos: Nossa, pergunta super pessoal,  rsrsrs. Geralmente não divulgo informações familiares, gosto de manter preservado, pois não se trata apenas da minha vida e sim da deles também. Meu hobbies são ler, assistir séries (sim, adoro GOT e iCarly), ouço quase todo tipo de música, não gosto daquelas que tem apelo sexual e “pornomelodia”, adoro clássica, rock pesado e forró. Sou fã do The Doors, AudioSlave e System of a Down. Não tenho preferências sobre pratos, como de tudo. Jogo vôlei de praia toda semana e futebol, com menos frequência.

11) Você é uma pessoa religiosa? O que é Deus para você? 

Josué Matos: Acho religião uma coisa delicada e particular de cada pessoa. Não gosto de expor a minha opção religiosa, acredito que falando apenas de uma, estarei fazendo uma grande injustiça com as outras. Cada um é livre para acreditar no que quiser e isso não deve ser motivo para discussões. Me reservo a dizer que fé tem que ser uma coisa boa, que traga bondade e ajuda, por isso, me considero um homem que tem fé.

12) Diga-nos a sua visão sobre o cenário político brasileiro atual e no que ele afeta diretamente a literatura?

Josué Matos: Somos uma democracia nova e todo esse processo faz parte do amadurecimento democrático. Sempre soube que o política brasileira é suja, e sempre soube também, que em algum momento, tudo viria a tona. A revolução está começando. Cabe a nós educarmos nossos filhos, ensiná-los a serem justos e corretos, para que esse começo de mudança não termine, continue até que todo o sistema esteja limpo. 


Dentro dessa visão, acredito que a literatura é que pode afetar diretamente o cenário político a medida que ficamos mais críticos. Mesmo que eles queiram diminuir a leitura com ações absurdas como diminuição de verbas educacionais, precisamos ser fortes para sobrepujá-los.

13) Oi Josué, aqui quem pergunta é Michael, como vai? O que te influenciou a escrever o livro ''Eu, Inabalável''? 

Josué Matos: Olá Michael. Fiz um curso com Ryoki Inoue e uma das práticas era pegar uma notícia dos jornais e transformar em uma história. Uma das manchetes era sobre um garoto homossexual assassinado. Fiz a dinâmica e o texto agradou muito, então fui incentivado a desenvolver a história e ela acabou virando um livro.

14) Olá Josué, também faço parte do Marcas Literárias, me chamo Emídio, tudo bem? Como é sua relação ao escrever e dar vida aos seus personagens, você busca algum tipo de sentimento especifico? Se espelha em alguma coisa?

Josué Matos: Olá Emídio, Me espelho em meus sentimento e visão em relação ao mundo que vivemos. Sempre procuro incomodar e fazer textos inteligentes que agucem a percepção do leitor.

15) Na sua visão, está sendo positiva ou negativa a forma em que as escolas estão desenvolvendo o gosto pela leitura? Falta algum outro incentivo para desencadear esse gosto em ler? 

Josué Matos:  O modelo educacional brasileiro é arcaico, desta forma, a introdução ao gosto pela leitura é nulo. A escola apenas ensina a ler, não estimula a importância da leitura. O gosto pela leitura não deve ser imposto, deve ser semeado e regado sempre. Para isso funcionar, todo o modelo educacional deve ser revisto, a começar pelo respeito e valorização aos professores.

16) Léo novamente por aqui, Josué. Vamos agora para as considerações finais. Nos livros ''Eu Inabalável'' e ''FEY'', percebi um caráter estrutural de muito recurso. Quais são os procedimentos que você usa durante a escrita? Nos dê algumas dicas infalíveis para a composição de boas tramas.

Josué Matos: Essa é uma ótima pergunta Léo. Me preparei bastante antes de publicar meu primeiro livro. Estudei técnicas de escrita e encadeamento de ideias. O que me guia na escrita é ter sempre bem definidos o inicio, meio e fim da trama. Basicamente, a construção de um problema, suas consequências e sua resolução. Durante esse processo insiro histórias paralelas e questões que devem sempre questionar, aguçar e estimular o leitor. Tecnicamente, uso muito das técnicas de escrita, e acredito que todo autor deve ter a obrigação de conhecê-las.

17) Como roteirista você já imaginou algum de seus livros em formato cinematográfico? Sou fã das suas obras e encantado pela trilogia ''FEY'', me sentiria muito contente se pudesse ver o livro virando filme.

Josué Matos:  Tenho planos junto a minha querida amiga Cristiane Vilarinho, em transformar o “Eu” em série para televisão. Já temos alguns capítulos prontos e em breve ofertaremos a algumas produtoras. Com relação a FEY, acho que daria um ótimo filme brasileiro de ficção científica. Irei em busca desse sonho também.

18) Josué, essa pergunta faz parte do momento ''NA LATA'', você deve responder de forma curta o que cada item significa pra você, vamos lá:

- Um livro nacional: Capitães de Areia
- Um livro estrangeiro: Admirável Mundo Novo
- Um filme: Matrix
- Um vilão: Professor Moriarty
- Editora: PenDragon
- Fãs: Reconhecimento e Respeito
- Brasil: Esperança
- Educação: Uma necessidade
- Uma frase em 4 palavras: Sonhe, acredite, batalhe, consiga.

19) Conte-nos sobre os seus atuais projetos. O que vem de Josué Matos por aí?

Josué Matos: Meu projeto atual é a PenDragon. Ela deu tão certo que toma todo o meu tempo atualmente. Estou focado em fazer uma ótima bienal e dar orgulho aos autores e parceiros que acreditaram em nós. Também iniciei a continuação de Fey, todavia acho muito difícil concluí-la até a Bienal.

2O) Como de costume nas entrevistas do blog, deixe uma mensagem para os seus fãs, amigos, admiradores e para a galera do Marcas Literárias. O que você tem a dizer?

Josué Matos: Quero agradecer a todos que de alguma forma me incentivam, seja com palavras amigas, resenhas, críticas e elogios. Fico imensamente feliz em saber que sou reconhecido não só pela escrita, mas, principalmente, pela pessoa que tento ser. Isso é gratificante, e agradeço de coração a vocês por me proporcionarem isso. Por fim, gostaria de passar a mensagem para todos que tem um sonho na vida, acredite e batalhe por ele, não deixe que ninguém te diga que não é possível, pois o que você precisa para conseguir está dentro de você, basta apenas você encontrar. 

21) Grande Josué Matos, nós agradecemos a sua participação conosco nesse bate-papo muito interessante e construtivo. Grato por sua atenção e humildade. Desejamos a você muito sucesso e cada vez mais perspicácia e equilíbrio não somente no âmbito literário como também no campo profissional e familiar. Te admiramos e somos gratos por sua contribuição ao cenário nacional da literatura. Obrigado!

Josué Matos: Agradeço ao Léo e a todos do Marcas Literárias por incentivar a literatura nacional. Obrigado. Aproveito para desejar muita sorte com a Fonzie, tenho certeza que farão um trabalho digno e que todo autor merece. Um forte abraço.


●●●

Galera, que bate-papo foi esse!? O cara é simplesmente demais. Gostamos de tê-lo recebido aqui no blog, caro amigo Josué Matos, e lembre-se, este também é um espaço seu e de todos da PenDragon. Sempre que precisarem, estamos disponíveis para ajudá-los no que for preciso. Acredito que o primeiro ingrediente para uma excelente melhora em nosso cenário, é a união. Obrigado por nos parabenizar com a Fonzie, agradecemos imensamente!

Galera, não deixem de participar do sorteio.

Vamos nessa!!! Espero vocês lá.



Comente com o Facebook:

13 comentários:

  1. Bom dia a todos do Marca Literária, nossa entrevista bacana, curti mais ainda os colaboradores está interagindo isso é bom demais Léo me ensina como arrumar colabodores prestativos? Bjsss

    ResponderExcluir
  2. Bom dia, Beta, grato pelo comentário. Saber que você apreciou o bate-papo e está gostando do que a nossa equipe está fazendo para levar a vocês coisas boas, é muito bom.

    Sempre há pessoas que gostam de colaborar efetivamente com o cenário da literatura.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. A entrevista ficou muito boa Leonardo! Parabéns à todos da equipe. Josué Matos é fantástico, uma pessoa humilde e muito talentosa.Desejo ainda mais sucesso à PENDRAGON. Forte abraço à todos!

    ResponderExcluir
  4. Valeu Luciano.

    Josué e todo os demais amigos talentosos da PenDragon merecem cada vez mais sucesso.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  5. Obrigado pela honra em conceder essa entrevista. As perguntas foram ótimas e tive grande prazer em respondê-las. Parabenizo a todos da equipe pele belo trabalho que fazem em prol da literatura nacional.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nós é quem agradecemos, Josué. Recebê-lo aqui foi ótimo. As suas dicas foram bem importantes.

      Obrigado pela honra.

      Abraços.

      Excluir
  6. Que entrevista show!! Muito bom poder conhecer um pouco mais do autor. Penso que a entrevista com autor só engrandece, pois aqueles que de fato desejam escrever ou já escreve, se sentem mais fortalecidos com as experiências vivida por outros. Gostei por demais das perguntas e respostas, e com isso o Marcas Literária está de parabéns, pois a cada dia vem mostrando seu real objetivo que é Informar , interagir e entreter .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo elogio, o Blog está sempre disposto a incentivar a literatura e autores nacionais.

      Excluir
  7. Querido Josué a equipe agradece o carinho para conosco! Eu e a equipe lhe parabeniza pelo excelente trabalho frente a editora. Forte abraço!

    ResponderExcluir
  8. ooi!
    adorei a entrevista, é sempre bom conhecer autores nacionais!
    bjs xxx
    http://lendocomela.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Micaela, agradeço por sua visita.

      É sempre bom mesmo conhecermos novos autores.

      Beijos.

      Excluir
  9. Maravilhosa entrevista, parabéns para a equipe Marcas Literárias.
    Josué é uma figuraça e talentosíssimo, tive a honra de ler seus dois livros e posso afirmar que são criações espetaculares e cheia de valores e abordagens a se pensar. Mais uma vez, parabéns pelo trabalho de vocês.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Patrick, agradeço em nome de toda equipe do Marcas Literárias e faço minhas as suas palavras a respeito de Josué.

      Abraços meu querido.

      Excluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd