quarta-feira, 13 de julho de 2016

Resenhando ''O Estranho'', livro escrito pelo autor Ademilson Chaves

Fala galera do Marcas, tudo beleza? Hoje é dia de resenha!!! É com felicidade e muita admiração que venho confirmar a vocês mais uma vez a qualidade literária que encontrei em mais um livro do talentoso autor Ademilson Chaves. Ainda estou sem palavras para descrever a perfeição desse livro, tive mesmo que tirar o chapéu para ''O Estranho'' e acompanhá-lo até as últimas consequências em uma trajetória repleta de reviravoltas e descobertas. Nesse enredo de desenvolvimento estonteante e com personagens que tomam a sua frente e te surpreendem a todo tempo, Ademilson Chaves manteve-se coesivo no quesito conduta humana e traz mais uma vez uma trama excepcional aos leitores.

Título: O Estranho
Autor: Ademilson Chaves
Publicação: 2016
Editora: Tribo das Letras
Gênero: Romance
Páginas: 208

COMPRAR
Fale diretamente com o autor

Sinopse: Dez anos são suficientes para que crimes terríveis se revelem e a verdade venha à tona? Nesse incrível suspense, os personagens terão suas vidas presas em uma vertiginosa trama onde traição, amor e ódio se fundem em uma tentativa desesperada para manter, sob camadas de mentiras e mistérios, a verdade escondida. Júlia, após descobrir que perdera anos em um casamento por interesse com um renomado advogado,vê sua vida colocada de cabeça para baixo quando, em uma noite chuvosa, o encontro com um estranho em um hotel de beira de estrada a leva a um inesperado caminho. Impelida pela imprevista atração por um homem misterioso e desconhecido, em um misto de curiosidade e temor, vê-se arrastada para um caminho onde a vingança é o norte, e vitima e culpado se alternam. Um crime bárbaro, uma pena injusta e um amor interrompido pelo poder, pela mentira e pelo ódio serão os componentes que levarão Júlia a descobrir segredos que seu marido guardava a sete chaves, fazendo-a pensar em quem realmente seria o Estranho em sua vida. 

●●●

Links sugeridos

Como eu já havia dito nas primeiras impressões divulgadas aqui no blog anteriormente, ''O Estranho'' foi me surpreendendo enquanto eu saboreava os primeiros capítulos. Após deixar pra vocês essas impressões, continuei lendo e, acreditem, surpreendi-me ainda mais, e muito. Realmente a ambientação retratada no livro é muito chamativa e o conteúdo deveras reflexivo. O leitor é agarrado facilmente com a trama e envolve-se com ela tornando-se parte da mesma. É importante ressaltar que um dos pontos melhores do livro é os personagens. Suas histórias estão interligadas de maneira muito sólida e o autor não mete os pés pelas mãos quando narra o presente associando-o ao passado. Os mistérios da trama também fazem parte dessa levada de pontos súperos. Quando essas brumas começam a se desvendar o leitor se sente ainda mais ensimesmado com a história. 

Júlia, a protagonista, aparece no livro de forma saudosista, lembrando-se do seu passado e de suas escolhas que não a agradaram tanto assim. André, o advogado bonitão com quem ela se casou e teve dois filhos, é o cara que a tirou do interior de Minas Gerais e deu-lhe uma vida muito boa. Até aí tudo bem. Mas Júlia nega-se a aceitar o fato de ter se casado somente pelo interesse e não por amor. Ela alega diversas vezes, inclusive em diálogos com a mãe Ema, que não ama André e que estaria pensativa sobre uma possível separação. O engraçado é que a protagonista vivencia períodos familiares que a deixam convicta de que ela não conhece tanto assim a André, que de repente passa a agir de forma estranha, agressiva e demonstrando um excessivo ciúme. Nesse ponto o autor joga com a temática dos comportamentos humanos e consegue retirar o leitor do âmbito romântico para lança-lo no eixo reflexivo. Bons livros não são aqueles que transmitem somente boas histórias, mas sim aqueles que dentro dessas histórias faz com que o leitor se encontre com assuntos que a sociedade vive. Gerar esse conflito é um ponto chave para o autor. Ademilson Chaves consegue fazer isso diversas vezes enquanto apresenta ''O Estranho''. 




As primeiras sensações estranhas surgem na protagonista e lhe fazem enxergar o estranho com quem ela havia se casado. Esse é um ponto tenso na leitura. Desentendimentos e brigas entre o casal são retratadas de maneira fiel ao mundo real. Os questionamentos começam a surgir e o leitor se imagina imediatamente no lugar da personagem. Para muitos, será fácil se identificar tanto com Júlia quanto com André. A maneira medrosa e frágil da mulher se embate com o grosseiro e possessivo caráter do homem. O autor nos apresenta um conteúdo muito atual que acontece comumente, onde o parceiro ou parceira se tornam verdadeiras incógnitas com o passar dos anos. O ciúme excessivo de André é um ponto muito importante a ser aproveitado na leitura. As observações sobre as consequências desse descontrole são necessárias para que o leitor entenda os desfechos. 

''[...] Inquietações inexplicáveis permeavam sua mente de mulher sofrida [,,,] sabia do que aquele homem era capaz. Conhecia seu ciúme e amor possessivo [...] tentava enganar a si mesma sacrificando a vida pelos filhos [...] tentou iludir-se, enganar seu coração [...] Uma saudade tétrica invadia sua alma [...]''

A mensagem sobre o casamento sem amor é um dos assuntos estampados de forma clara no eixo da trama e é espelhado a todo o tempo; é um dos fatores que representam a sobriedade da obra. Em determinado momento, surge um outro personagem importantíssimo para o desenrolar da trama. O narrador o apresentará por um bom tempo para o leitor como ''o estranho'', nome que a própria protagonista usa para o definir desde o instante em que o conhece. Este personagem tem um peso enorme nas ocorrências do livro e após o seu envolvimento com Júlia, entende-se que ele é o verdadeiro protagonista do romance.

''Ficou pensando que espécie de mulher era ela, pois havia traído o marido com um homem que não sabia quem era, e que não sabia nem sequer o nome, um homem totalmente estranho. Os pensamentos a martirizavam enquanto mulher e mãe de família [...]''

Essa jogada com o psicológico dos personagens é um dos artifícios usados por Ademilson. O estranho tem características esquisitas e aparenta guardar muitos segredos. Sua capacidade de persuadir é incrível. Ele tem um controle tão forte sobre Júlia que chega a ser inquietante para o leitor saber que a personagem é facilmente dominada pelo jeito e fala do rapaz.

Slide com fotos do livro ''O Estranho'', de Ademilson Chaves

Lembrei que isso acontece ao nosso redor o tempo todo. Há pessoas que conseguem — movidas por uma vontade maior de vingança — ''manipular'' com facilidade a mente da outra. Essa fragilidade psicológica é, em muitos casos, afetada quando a pessoa manipulada apresenta requisitos de alguém incompleto em algum estado afetivo-emocional. Isso foi reproduzido perfeitamente no livro. Os ciúmes de André também atestam ao leitor que Ademilson gosta de evidenciar o cotidiano de muitas famílias. O descontrole é um retrato fiel de muitos homens e mulheres que não refreiam seus impulsos. A debilidade de Júlia no amor, contato e atenção também provam que o ser humano necessita de certas coisas que só encontra no próximo e que a qualquer momento encontrará isso em alguém. É fantástico como o autor usa tão bem os comportamentos de seus personagens focando seus desejos mais escondidos. A beleza nisso tudo é enxergada no ponto em que o leitor consegue enxergar o reflexo humano e distinguir que mesmo diferentes cada um carrega aspectos e condutas semelhantes, sejam desejos e atrações, segredos obscuros ou anelos de vingança. Nisso, entende-se novamente que o ser humano é uma raça desonesta e vulnerável.

Ademilson Chaves mais uma vez foi perfeito em sua escrita. O enredo tem trejeitos cinematográficos e pode facilmente ser adaptado como um filme. É tudo muito fácil de ser compreendido, afinal a simplicidade nas palavras faz com que a leitura seja muito agradável e viciante. O autor, assim como em seu outro livro ''A Escolha de Eron'', usou elementos nacionais para preencherem o esqueleto da obra. Isso é muito agradável e leva ao leitor a possibilidade de se fazer parte maior da trama. Muitos se pegam pensando ''Nossa, essa história se passa bem aqui nessa cidade!'' e quando os autores nacionais mostram esse regionalismo em suas obras — não somente nas descrições físicas dos lugares, mas no comportamento das pessoas, em suas falas e recursos — e provam que sim, é possível se criar excelentes teias sedutoras em esferas nacionais, são merecedores de aplausos e reconhecimento. 

''Árvores verdes, secas, flores a beira da estrada, montanhas e estrada de chão. Casebres simples passavam a certa distância, ao pé de uma montanha como num desfile de moradias humildes e desgastadas pelo tempo [...] Supôs que deveria ser muito triste morar em um lugar assim: sem lojas, sem conforto, sem aquilo que a cidade grande poderia oferecer [...]''

Os capítulos do livro são bem curtos e isso facilita a leitura e compreendimento do romance. Ao início de cada um deles há sempre uma observação de Júlia sobre a situação que aos poucos tornava-se mais perigosa e sem volta. Dentro de todo esse conteúdo que já foi mencionado, o autor consegue encaixar componentes como assassinatos, prisão, mentira e ódio que são parte do núcleo de segredos espetaculares do livro. Única coisa que não curti foram as páginas iniciais de cada capítulo que apresentam uma imagem que atrapalha a visualização das letras na folha. Em uma próxima edição isso pode ser corrigido.

É quase indescritível adjetivar autor e obra mas posso afirmar que você não vai se arrepender ao ler o livro e conhecer ou rever a escrita maravilhosa desse cara tão habilidoso. No melhor dos sentidos classifico o livro como um entorpecente. A abordagem de temas como sonhos, traições, amor, ódio, desejos, atração e vingança lança a possibilidade de perspectiva no leitor, o deixando inquieto afim de desenrolar o brilhante carretel de mistérios e também encantado com o romance. Quando o estopim do enredo explode, o leitor se satisfaz ainda mais com a grandiosidade literária de Ademilson, que o serve como um fantástico garçom da literatura nacional mostrando um romance cheio de suspense e reviravoltas a nível máximo. Seria estranho dar menos de 5 estrelas para ''O Estranho''. Ademilson e sua obra merecem ser lidos o quanto antes. Adorei o livro.

O livro é excelente, o enredo é fantástico


Espero que tenham gostado da resenha. O livro está mais do que recomendado. Aproveito o espaço para agradecer imensamente o querido autor e amigo pela confiança. Foi uma honra receber o livro e tê-lo em nosso acervo.



A todos, um abraço e até logo!

Comente com o Facebook:

10 comentários:

  1. Léo! Sua resenha se iguala à perfeição da obra do Ad. Sem mais palavras, você já disse tudo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucas, valeu cara. Fico feliz em saber disso. Obrigado pelo elogio. Ainda tô alucinado com tamanha perfeição lida. O AD está de parabéns. Adorei!!!

      Abraços, cara.

      Excluir
  2. Leonardo Otaciano que resenha soberba! A mesma ficou magnífica, de tão bem elaborada. Cara estou boquiaberto com tamanho talento e competência do Ademílson Chaves. Pelo que eu li em tua resenha, trata-se de mais uma obra prima nacional. Eu o parabenizo pelo livro, ele é um exímio escritor, o cara escreve muitíssimo bem, ele envolve completamente o leitor com suas obras. É magnífico. Forte abraço!

    ResponderExcluir
  3. Fala Luciano, valeu!

    É isso mesmo, mais uma obra-prima nacional. Já sou fã desse cara, a sua escrita é viciante. Quero mais!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Uauuu que resenha marcante, só as impressões me deixou com vontade de ler, essa resenha me deixou muito mais curiosaaa, parabéns Léo.

    ResponderExcluir
  5. Grato beta,

    Espero que você possa ler. A leitura vai te agradar, e muito.

    Valeu!

    ResponderExcluir
  6. Me apaixonei!! Não sei se pelo livro, ou pela resenha, rs. A resenha de fato é a análise do livro , e esta foi feita e de forma encantadora. Nossa Léo, você escreve muito bem. Ler um livro teu, ou uma resenha feita por você, é muito prazeroso, as escolha das palavras, e a forma que elas são apreciadas por ti encanta. Confesso: Admiro esse seu jeito peculiar de usá-las.
    Confesso que fiquei encantada pelo livro. Que estória fascinante, penso que de fato retrata um assunto eminente em nossa realidade. Quantas vezes embriagados por uma miragem nos enganamos facilmente, achando ser mais fácil seguir tal caminho. Mas em diversas situações fica muito claro que por muita das vezes não escolhemos por nós mesmo, mas por uma força maior que está além do que percebemos.
    As relações por si só tem suas complicações para seguir seu curso. Mas quando se junta “ vontades e desejos diferentes” , de certo o caminhar se emaranha e o questionamentos surge, sobre as escolha feita. E o que parecia fácil se torna difícil, e o que antes era conhecido, este se torna desconhecido. O livro merece mais estrelas que CINCO estrelas, pois um livro que faz o leitor pensar e acima de tudo trazer para a sua realidade, de certo tem muito a ensinar.
    Penso que é de suma importância para um autor encontrar um bom LEITOR, pois com seu olhar critico e analítico e ventilada a luz da sabedoria fará uma boa análise, e de certo, agradará a todos. Parabéns aos dois. Encantada moço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grato por suas palavras a resenha e ao livro do Ad. Fico feliz que tenha conseguido passar as maravilhas do livro de forma clara. Esse enredo acrescenta em muito a importância de assuntos familiares, sociais.

      Valeu minha querida.

      Excluir
  7. O livro o Estranho, é um dos meus preferidos do escritor Ad Chaves. O livro tem um pouco de tudo do suspense,a vingança e o drama e um dose de amor.
    Adorei a resenha!
    Parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Roberta,

      Agradeço pela visita e elogio. Concordo com você, O Estranho é um misto de competências retiradas do autor e repassadas ao leitor. Simplesmente, uma enxurrada de talento na qual podemos mergulhar quando quisermos.

      Excluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd