terça-feira, 6 de setembro de 2016

Vivam ''Horas Sombrias'' e conheçam a obra de Paula Santino, autora da Giostri Editora

Olá pessoal, hoje é dia de resenhar sobre o livro recebido pela estimada Giostri Editora. Este é um dos livros recebidos da editora em razão da parceria com o Marcas Literárias. Para relembrar o primeiro livro da Giostri resenhado aqui no blog, clique aqui. Em tese, o livro que trago desta vez, foi escolhido carinhosamente para o blog pelo querido Alex Giostri. ''Horas Sombrias'', escrito pela autora Paula Santino foi lançado neste ano de 2016 e rememora grandes e bem sucedidos desfechos cinematográficos e literários estrangeiros. Em resumo, a literatura nacional é presenteada ao receber uma obra muito bem desenvolvida, tanto quanto grandes esses clássicos do romance policial internacional.


Título: Horas Sombrias
Autor: Paula Santino
Publicação: 2015
Editora: Giostri
Gênero: Romance
Páginas: 372


Sinopse: Presenciar o assassinato da melhor amiga provoca uma grande reviravolta na vida de Katherine, uma jovem comum que passa seu tempo livre lendo e vendo episódios de suas séries preferidas. Como testemunha protegida pelas autoridades, ela vê sua rotina virar de ponta-cabeça e tem ainda de enfrentar a confusão de sentimentos que envolve o detetive responsável pela investigação, Andrew. E, a cada instante que passa, é cada vez mais certo que a fagulha existente entre eles irá explodir a qualquer instante.

SOBRE A AUTORA – PAULA SANTINO nasceu em 11 de novembro de 1991 e mora na cidade de São Paulo desde que se entende por gente. Leitora voraz de romances e distopias, é fã de carteirinha de cultura pop, bandas americanas e de séries de televisão, especialmente as policiais. Formada em Pedagogia, atua na área da Educação e é apaixonada pelo que faz, mas quando não está na sala de aula seu negócio é escrever, algo que faz desde os sete anos. Muitas de suas histórias estão perdidas pelo imenso universo da internet, porém Horas Sombrias é o seu primeiro livro e a realização de um sonho de muitos, muitos anos.


''Quem é que não gosta de um bom romance, não é mesmo? Bom, o que foi apresentado no livro da autora Paula Santino é realmente de se tirar o chapéu. O encanto da sua escrita não está somente em suas palavras acuradas ou em seu desenvolvimento retocado. O encanto se encontra nos próprios personagens que de tão humanos e existentes conseguem designar condições de caráter e compromisso. A protagonista, em uma forma psíquica destruída momentaneamente, vive dias de mudanças, adaptação e descobertas que mudam seu rumo.''

Em ambientes — em sua maioria — perturbadores e repletos de surpresas, Katherine envolve-se primeiramente com suas próprias descobertas e sentimentos. A personagem é muito bem trabalhada e o modelo perfeito de um romance policial/investigativo é carimbado em ''Horas Sombrias''. A estrutura, por si só, já é baseada mesmo nos antigos roteiros investigativos onde a mocinha protagonista desatina sem rumo e acaba se apaixonando por seu protetor/salvador. O leitor sente-se a todo momento aprisionado na história de Kate, que já começa com acontecimentos importantes numa base vertiginosa e tensa. A vida em ''Horas Sombrias'' é narrada como uma realidade pertencente ao cotidiano de muitos que se deparam com uma cena forte como a de uma assassinato. Apesar de a história não se passar em solo nacional, o leitor encontra uma facilidade enorme em compreender os desfechos locais e também no funcionamento do Programa de Proteção a vítimas e testemunhas ameaçadas. Essa temática é levada a sério quando confrontada pelos leitores mais experientes e atentos, que não se deixam levar apenas pelo teor fictício e romântico.




A qualidade na escrita da autora é um diferencial absurdo e positivo. Para aqueles que gostam de comparar os nacionais com os estrangeiros, é possível afirmar que a base de enredo utilizada por Paula Santino lembra muito obras voltadas para o público internacional. Isso de certa forma torna-se muito atraente e positivo visto que o cenário atual cresce cada vez mais com essa tendência.

A grafia é sofisticada. Nota-se maturidade literária envolta por um brilhantismo natural. Paula detalha quando preciso, agride e retrai quando necessário e descortina um envolvente romance na hora e dosagem certa. A narrativa, os personagens e todos os desfechos dos fatos apresentados seguem uma ''timeline'' coesa de um enredo onde a tensão fala mais alto mas a simplicidade atrai.

''O pessoal que está atrás de você faz parte de uma facção criminosa conhecida como The Snakes. Você é testemunha de dois assassinatos, viu o rosto deles e ainda está disposta a encarar um júri para incriminá-los. Você é um alvo [...]''

Mesmo com todos os elementos apreensivos, a narrativa não deixa de trazer o ar romântico. Kate tem uma maneira muito singular de narrar as suas horas sombrias. Ao decorrer, o leitor atento começa a desconfiar do comportamento do detetive Andrew Wentz, responsável pelo caso de Kate. O rapaz aparenta querer se aproveitar da situação para ter Kate sob o seu domínio, demonstrando vez ou outra, paixão e possessividade acompanhadas de agressividade e desespero. Nota-se também que esses personagens principais crescem, modificam-se e aprendem com as consequências dos acasos. Essa jogada torna o romance de Paula Santino muito mais sólido. O desespero, a falta de orientação, a dúvida, fazem da meiga protagonista uma garota completamente perdida em suas próprias entrelinhas, em seus próprios pensamentos.

''Andrew apertou os dedos nas mãos com raiva e socou com o punho a mesa de madeira, fazendo todos os objetos em cima dela se remexerem como se acabassem de sofrer as consequências de um terremoto [...] Nós nos encaramos por alguns segundos, ambos completamente cientes de quão próximos estávamos, até que ele deu um passo para trás, se afastando com delicadeza [...] fiquei pensando na minha reação quando meu nome saiu com tanta suavidade da boca dele.

Uma mensagem muito importante conduzida na obra é quanto aos encontros da vida. A protagonista vivencia fatos intensos que resultam em suas horas sombrias, porém, inovantes. É importante estabelecer uma estabilidade entre as parcelas de efeito, sejam boas ou ruins. No enredo, esse vínculo é influente e esclarecedor. O envolvimento de Kate com Andrew é, na verdade, apenas um dos ingredientes resultantes de toda a turbulência gerada após os inimagináveis eventos. A confusão de sentimentos, as mudanças, os limites apresentados mediante ao sistema de Proteção a Testemunha, a aceitação de uma nova rotina estão presentes como ideias ativas e necessárias para observação do leitor. Em outras palavras, o livro não é apenas mais um romance como outros. Os pequenos indícios de provas psicológicas tanto para Andrew quanto para Kate, provam que o ser humano é uma variável e que mesmo em situações adversas pode (e consegue) extrair benefícios. Embora seja clichê dizer que o eixo do enredo sustente um traço de clichê (o que é muito comum no gênero), Paula Santino manteve o equilíbrio do foco principal: a reação diante do medo do novo e inesperado, o comportamento perante o nervosismo, ansiedade, angústia e a prova de caráter.

''Caí de joelhos, mortificada. Minhas mãos tremiam, os pulmões pareciam não receber oxigênio suficiente, me fazendo ofegar. Minha garganta estava travada [...] Olhei ao meu redor, observando os corpos imóveis de meus familiares e amigos [...]] Aquilo era culpa minha [.. .] Aquela sensação era horrorosa. O terror parecia vir em ondas cada vez mais fortes, e eu não sabia como fazê-las parar.''

Capa do livro, ''Horas Sombrias'', autora Paula Santino,
publicação Giostri Editora

''Horas Sombrias'' é o titulo perfeito para a história de Kate. Um grande nó parece prendê-la pela garganta e sua obrigação é rompê-lo antes que a mesma enlouqueça. Proteção e conforto é o que a protagonista busca.

''Não sei direito o que estava acontecendo dentro de mim, mas engoli em seco ao observá-lo sem pudores. A luz do sol que se esgueirava pela janela refletia em seu corpo, me dando a visão de todos os seus músculos, malhados na medida certa [...] Andrew precisava ficar longe. Longe do turbilhão que ela era, longe de toda a sua intensidade, de seu corpo perfeito, de seus dedos habilidosos, seus cabelos brilhantes, seus lábios perfeitos. Longe, longe, longe [...] Seus lábios avançaram contra os meus, impiedosos... Nossas línguas finalmente se encontraram, nada tímidas, e elas giraram uma na outra, famintas e entorpecentes [...]''


O volume tem prólogo, epílogo, 25 capítulos e é dividido em 5 partes. A narrativa, vez ou outra, é alternada de 1ª para 3ª pessoa. É impossível não apreciar os perfeitos diálogos presentes na história. Falando em material, não há do que se queixar. A Giostri arrasou mais uma vez. O livro é simplesmente maravilhoso. As folhas são amareladas e a capa e diagramação são um luxo só. A apresentação desse talento chamado Paula Santino foi feita de maneira grandiosa. Para quem aprecia um bom romance misturado com adrenalina, segredos e muitas surpresas, essas ''Horas Sombrias'' passam a ser indispensáveis em suas coleções. Com certeza, cinco estrelas na catalogação. Parabéns aos envolvidos em todo esse processo de criação de ''Horas Sombrias''.

Diagramação do livro ''Horas Sombrias'', autora Paula Santino,
publicação Giostri Editora

O livro é maravilhoso.


Acessem o site da Giostri Editora e encontrem este e outros livros magníficos em todo o catálogo. São mais de 500 autores inseridos no mercado.

Não percam tempo: www.giostrieditora.com.br

Um abraço e até a próxima!


Comente com o Facebook:

6 comentários:


  1. Uau! Arrasou caro Leonardo. A resenha está mais que perfeita. Parabenizo a Paula Santino pela obra, obra esta que pela sua resenha é simplesmente espetacular. Eu sou fã de romances policiais, dentre os gêneros literários que eu leio, sem dúvidas esse é um dos meus favoritos, talvez até o que mais me agrada. É certo que devemos ler sobre tudo, mas como todos os demais leitores, eu tenho minhas preferências. Forte abraço Leonardo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Luciano, o livro é Excelente. Eu fico muito feliz quando encontro obras tão incríveis assim. Conhecer o talento e competência de nossos amigos autores é muito bom.

      Obrigado, abraços.

      Excluir
  2. Que adrenalina, que Horas Sombrias! Me senti na pele da Kate. Diante da resenha, o livro é muito bom, e sem sobra de duvida é um gênero espetacular. É um dos gêneros que nos permite quanto leitor participar ativamente do desenrolar da estória, e encontrar o bandido antes do autor nos esclarecer, é uma sensação prazerosa. Adoro! Muito boa sua resenha moço! :-bd

    ResponderExcluir
  3. Olá Léo,
    UAU. Estou em choque com a premissa do livro. Ele parece ser muito bem desenvolvido e intrigante. Adoro obras assim e, óbvio, vou me valer da dica!
    É tão bom ver livros nacionais tão bem escritos! Enche meu coração de alegria.
    Parabéns pela resenha.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  4. Geane, minha querida, obrigado pela visita.

    As ''Horas Sombrias'' são tensas demais e a sensação é mesmo prazerosa. Tenho certeza que voce irá adorar a obra.

    Recomendo!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Oi Bruna, que legal receber você por aqui, fico muito contente com suas palavras.

    Eu também sigo essa linha de raciocínio, a felicidade em encontrar autores nacionais tão bem preparados é gigante. A história é ótima, coerente e muito bem desenvolvida sim, merece com certeza o nosso prestígio.

    Beijos.

    ResponderExcluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd