sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Um convite ao Mundo Fantástico de Clayton De La Vie e seus ''Seres do Além'', Editora Fonzie

Olá meus amigos do #ML, tudo bem com vocês? 

Hoje quero informar que esse artigo é um tanto especial para o Marcas Literárias e para o amigo e autor Clayton De La Vie. A razão disto se deve ao encanto e satisfação de apresentar o primeiro livro da Editora Fonzie aqui no blog. ''Seres do Além'' é uma obra escrita pelo querido Clayton De La Vie e traz além de toda a magia presente em sua lógica fantástica, uma compilação cultural onde crenças, leis, morais, costumes e hábitos sodalícios bem caracterizantes formam o pano de fundo de toda a temática resolutiva da obra. Aquele que começar a ler este exemplar certamente se sentirá preso por toda a magia que o mesmo desprende de suas antigas e intactas páginas. Com uma ilustração de capa que encanta e já desperta o desejo pela leitura, o autor aposta em uma fantasia um tanto desigual onde ele mesmo informa a abordagem de uma mitologia própria. Diga-se de passagem que este é um dos fatores mais importantes que causam satisfação no leitor. Sem mais delongas, descubram vários motivos para conhecerem mundos mágicos e seres que realmente são do Além. Vamos nessa!
''Os monstros me atingiram antes que eu conseguisse me defender. Geralmente, os prisioneiros dos Ogros são devorados no local, mas eu não fui. Eles me levaram sobre os seus ombros imundos até uma caverna, após subir longas encostas de colinas. O interior era sombrio e tenebroso. Havia restos de homens, animais e de outras criaturas espalhados pelo chão cinzento. Apenas uma vela, no gargalo de uma garrafa de vinho, dava-nos luz.''.


Título: Seres do Além
Autor: Clayton De La Vie
Publicação: 2016
Editora: Fonzie
Gênero: Fantasia
Páginas: 402



Sinopse: Uma única missão leva os irmãos Christine, Nicolas e David Richard a se embrenharem por caminhos tortos de um Mundo Mágico, onde desvendam os segredos relacionados à morte de sua mãe e se veem em um cenário repleto de mentiras e jogos de poder. Além dos tradicionais elementos mágicos, Seres do Além reúne uma variedade de aspectos culturais humanos e também aborda uma mitologia própria. Esqueça a sua definição sobre o bem e o mal, pois, no universo criado pelo autor paulista Clayton De La Vie, ambos se confundem; em certos momentos tornam-se um.


As primeiras impressões sobre ''Seres do Além'' foram as melhores possíveis. É a segunda vez que leio o volume e confesso que fui atraído de uma maneira diferente e mais intensa. O conteúdo, embora seja o mesmo, conseguiu fazer com que a minha apreciação fosse aflorada em absoluto. Clayton De La Vie definitivamente possui uma escrita viciante. É impossível emperrar o processo de leitura. No decorrer desta análise, que talvez não destrinche com tanta eficiência a culminância dessa composição do autor, sinais de eficiência serão desvelados em uma história muito mais do que envolvente. O autor é um ser rútilo e cresce cada vez mais na visão literária contemporânea.  

''A escuridão era tamanha que ela não enxergava nada à sua frente. De repente um clarão, mais cristalino do que as águas do Notyalc, pôde ser observado ofuscando os seus olhos. Ela ficara observando a luz e percebera uma cadeira com um homem de boa aparência sentado sobre ela. O estranho ser trajava um terno de linho, tinha os cabelos negros na altura dos ombros, rosto marcante em formato triangular e trazia um bastão feito de ossos na mão esquerda.''

Com uma escrita limpa, sofisticada e detalhando consideravelmente as ocorrências do enredo, o autor estabelece um perfeito paralelismo entre o leitor e a obra. Essa afinidade da-se desde os primeiros fatos escritos. As personagens já estão bem definidas desde o princípio, não valendo para esta obra a comum sensação do encontro com a leitura somente com o desenrolar-se da mesma. Em ''Seres do Além'' essa sensação já é percebida tão logo o processo de apreciação da obra desperta-se. O leitor se sente parte de tudo o que começa a ser lido como se a história fosse fragmentos de sua própria vida. A magnificência do autor em grafar é tão mensurável que a leitura em momento algum é penosa, o que é comum de acontecer em livros onde há uma maior inserção de elementos na história. Os traços do realismo misturados a um ar asseado fantástico idealizam um produto impressionante, preciso, ímpar e de fácil entendimento. Clayton De La Vie exibe uma habilidade amedrontadora ao desenvolver uma história que gera, além de todo o envolvimento com a fantasia, com o sobrenatural ‒ provocativo em certos momentos ‒ e com o encadeamento de expectativas mistas, uma intercalação elogiável a itens como cultura, mitos, povos, índole e poder, partindo por uma aventura impressionante que provoca agradáveis impactos.

''As vassouras produziam um ruído parecido com o das motos e soltavam fumaças coloridas que formavam um imenso manto por onde passavam. Sem precisar conduzi-las, se dirigiram para o destino final. Os irmãos faziam acrobacias no ar. Nunca imaginaram que algo assim poderia ser tão divertido e prazeroso; afinal, nunca haviam voado em vassouras antes. As nuvens acinzentadas demonstravam que iria chover dentro de minutos.''

''Seres do Além'', autor Clayton De La Vie, Editora Fonzie

Não apenas os irmãos Christine, Nicolas e David Richard ‒ personagens da base do enredo ‒ merecem ênfase quando se para pra observar as personagens. A sério, os seres criados por Clayton De La Vie são doados integralmente ao percurso histórico do núcleo de personalidades. Como já informado na premissa, o bem e o mal em muitos períodos tornam-se uma única coisa e fomentam todos os demônios internos do leitor. Centauros, bruxas, tubarus, curbras, anões, fadas, doendes, deuses, princesas, guardiões e outras linhagens são, na verdade, elementos de uma atmosfera cultural na qual refere-se diretamente aos ideais de elite. No momento em que os protagonistas se internalizam no Mundo Mágico, quebram muito mais do que o antigo silêncio de sua linhagem, descortinando em si próprios, poderes, medos, ambições, ódio, e descobrindo suas próprias verdades e experimentando os seus próprios egos. Seus paradoxos entram em jogo em vários momentos.

O manuseio da autoridade e o conflito pelo poder – elementos também usados comumente em obras do gênero – não são questões desprendidas no vasto campo do enredo. A impressão que se tem é de que todas as histórias dos seres citados no livro, antes mesmo de se unirem e formarem esse grande símbolo fantástico, já faziam parte uma das outras. Nota-se que a cada capítulo os seres completam-se, unem-se e no fim, quando imagina-se desfechos intuitivos, o autor desenlaça conclusões conexas que geram a satisfação imediata do leitor.


Alguns depoimentos de blogueiros fazem parte da contracapa do livro.

A história exclusiva citada na obra em relação aos personagens sobrenaturais, grupos, organizações e burgos chama a atenção pela caracterização perfeita das simbologias representadas em todo o universo criado pelo autor. Esse caráter social – quando observado e entendido durante a leitura – quebra todo o popular contexto e conceito de cultura e exterioriza a pluralidade encontrada também no próprio mundo real.

''A C.I.A. é a Central de Investigação a Assombrações... Nos séculos finais da Idade Média, contrastando com a fase anterior de relativa prosperidade, a Europa fora contaminada pela Peste Negra. A doença é causada por uma bactéria que é transmitida ao ser humano por meio de pulgas contaminadas que se alojam nos ratos. Para a religião da época, as doenças eram vistas como castigos divinos. Muitas criaturas sanguinárias, como vampiros e lobisomens, começaram a chegar ao continente, atraídos pelas mortes e sofrimento dos sobreviventes. Alguns seres criaram uma organização secreta, a qual se dava o nome de V.E.L., que tinha como objetivo exterminar a raça humana e dominar o planeta; porém, um bruxo de puro sangue, um dos primeiros da sua espécie, Muralha, vira nessa situação uma forma de exercer a soberania impondo normas sobre a associação''.

Outra vez fica claro que a magia realmente existe e que a fantasia está logo ali. O autor permite encontrá-la de forma clara e brilhante num punhado de elementos criados, expandidos e revelados com dois métodos eficazes: a inteligibilidade contextual e a originalidade conceitual. Os confrontos entre clãs são efetivos e ativos, os reinos no Mundo Mágico são divergentes de quase tudo já visto mas ainda assim poderiam se identificar com precisão a locais já vivenciados em algumas épocas. Os quarteis do [componente suspense] dão integridade a obra. Muitos pontos positivos adentram o enredo e transmitem a capacidade intelectual e talento do jovem escritor paulistano que aponta com facilidade, outros universos incríveis em ''Seres do Além''. O leitor ainda conhece orbes e seres bem avançados tecnologicamente. Essa inserção futurística o possibilita a refletir sobre modelos temáticos. O póstero inicia-se muito antes do que se imagina.

''Quando acordaram, os seus olhos tiveram que se acostumar à escuridão assombrosa que se fazia presente; no entanto, assim que recobraram a consciência, puderam notar uma cidade tecnológica ganhando forma. A tecnologia estava cem anos mais avançada do que a do Mundo Mortal. Altos arranha-céus erguiam-se majestosos por sobre as ruas cinzentas feitas de aço. Os transportes eram movidos à turbina e todos voavam. Robôs falantes eram vistos em toda a parte, tudo era incrível.''

Capa de ''Seres do Além'', autor Clayton De La Vie, Editora Fonzie
Uma arte elogiável.

A beleza de ''Seres do Além'' não se encontra somente na gama de pessoalidades fascinantes e marcantes mas em todo o seu exército de mundos dentro de uma criação só. Isto gera uma boa colação à realidade corrente.

Apaixona-se mais ainda aquele que tem o conhecimento de que o autor escreveu tudo isto há anos, quando era apenas um mero menino. A excelência da escrita e o comprometimento já vêm de berço. A maturidade e técnica certamente o fazem novamente um autor singular. O diferencial do paulistano é óbvio, perceptível. Em sua fantasia de ares sombroso desenvolvida determinantemente de uma maneira única e irretocável, compreende-se valores humanos em suas personagens. Os seres são do além, entretanto, sabemos que em nossa cruel realidade todas estas criações se fazem reais – e às vezes, palpáveis –, desde o princípio dos princípios. Compreender essas 'criaturinhas' pode ser tão fácil quanto abrir o livro ou tao difícil quanto fechá-lo. É possível que o leitor aguarde ansioso por uma sequência de causar impacção, e querer tornar-se um herdeiro dos ''Seres do Além'' pode até se tornar parte de seu pensamento. Estes seres do Além podem facilmente representar com precisão o interior de cada um.

''As almas reapareceram aos montes, surgindo por uma nuvem e outra, levantando-se do solo ou descendo das nuvens. Todas se juntaram aos pares e curvaram-se perante a presença da sua nova Majestade. Não tinham rosto ou forma, mas a mulher via a todos como esqueletos cobertos por luz. Luz azul.''

O livro é excelente, a escrita primorosa, a leitura causa fascínio e o material do volume é perfeito. A Editora Fonzie e o autor Clayton De La Vie estão de parabéns pela notável apresentação. Certamente, ''Seres do Além'' é mais um livro do autor para se tirar o chapéu. Enquanto lia, inúmeros fenômenos reiteraram a minha percepção de fantasia – quanto a gênero –, seres e até mesmo humanismo, no que diz respeito as doutrinas, ações e desejados poderes metafísicos. O autor merece palmas, muitas palmas!

Livro magnífico. Uma obra-prima da fantasia


Para adquirir esta e outras obras da Fonzie, acesse o site oficial e siga a editora em suas redes sociais, os links estão disponíveis abaixo.


Até a próxima, valeu!


Comente com o Facebook:

9 comentários:

  1. Bom dia, quase boa tarde rsrs, meu anjo bela resenha muito chamativa,porém é um tipo de livro que não me atrai, Leoooo suas resenhas são demais.

    ResponderExcluir
  2. Beta,, minha querida, que bom lhe ver por aqui. Grato pelos elogios.

    Pena que o gênero não lhe agrade, mas esta obra com certeza merece todo prestígio. Acho que todos devem dar uma chance a ela. Tenho certeza que se encantarão.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. A resenha está maravilhosa Leonardo. Parabéns ao Clayton pela obra, lhe desejo sucesso em sua carreira e, que livro é esse hein? A estória parece envolver completamente quem o lê. A editora está de parabéns, a capa está belíssima, chama logo à atenção de quem a vê. Forte abraço!

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Muito bom poder ler algo tão bem feito. Você arrasa meu amigo! SERES DO ALÉM tem uma capa lindíssima. Quanto ao que você apresenta parece ser o tipo de estória épica. Essa Ideia de seres sombrios me deixa com sensações extraordinário.
    Viajei legal na missão dos irmãos, Christine, Nicolas e David.
    Tenho uma imaginação muito fértil, quando leio: “A escuridão era tamanha que ela enxergavam nada só á sua frente. De repente um clarão, mais cristalino do que as águas do Notyale, pôde ser observado ofuscando os seus olhos. Ela ficara observando a luz e percebera uma cadeira com um homem de boa aparência sentado sobre ela....” Começo a sentir coisas, adoro!
    A fantasia é sem sombra de duvida muito importante para uma boa reflexão filosófica , pois , ela extrapola os limites da realidade, nos possibilitando a capacidade de imaginar. Talvez por que enfrentar as criaturas sombrias de nossa imaginação esteja mais próximo de nós do que possamos imaginar.
    Enfim o livro me parece espetacular, e com certeza foi muito bem apresentado. Parabéns!!

    ResponderExcluir
  6. Luciano, de novo, muito obrigado.

    Você precisa ler este livro e espantar-se com muitos fatores, claro, positivamente.

    Valeu!

    ResponderExcluir
  7. Querida Geh, grato mais uma vez.

    Concordo com suas palavras. Para quem já tem uma imaginação bem desenvolvida fica ainda mais fácil a navegação por estes universos tão bem criados e descritos pelo autor. Coloque mais esta magnífica obra em sua listagem de compras, viu?

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  8. Oi
    a edição parece ser bonita, a história até chamou minha atenção só que nem sei se leria e é tão bom encontrar livros Nacionais de vários gêneros conquistando os leitores.

    momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Denise, tudo bem? Agradeço a sua visita.

    É verdade, fico muito contente quando encontro livros nacionais bem desenvolvidos. Este é um que serve como exemplo.

    ResponderExcluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd